Afundamento do solo continua e Maceió segue em alerta máximo

Foto: Gésio Passos/Agência Brasil

A Defesa Civil de Maceió divulgou um novo boletim sobre o afundamento do solo na cidade, que ocorre principalmente no bairro Mutange. Segundo o órgão, a velocidade vertical de afundamento do solo é de 0,7 cm por hora, a mesma do boletim anterior. Nas últimas 24 horas foram registrados 11,8 cm de deslocamento.

O afundamento ocorre devido à exploração de sal-gema pela empresa Braskem. A defesa civil informou que segue em alerta máximo pelo risco de colapso iminente da mina.

“Por precaução, a recomendação é clara: a população não deve transitar na área desocupada até uma nova atualização da Defesa Civil, enquanto medidas de controle e monitoramento são aplicadas para reduzir o perigo”, reforçou o órgão.

Na madrugada deste sábado (2), um novo abalo sísmico, com magnitude 0,89, foi registrado a 300 metros de profundidade. O abalo foi mais intenso do que o registrado na noite de sexta-feira (1º), mas a Defesa Civil registrou uma diminuição na velocidade de afundamento de terra na mina 18.

O problema ocorre principalmente na área do antigo campo de treinamento do clube de futebol CSA, no Mutange. Três sensores no local continuam apresentando alertas de movimentação.

A Braskem confirmou que pode ocorrer um grande desabamento na área. É possível também que a área da mina se acomode e estabilize o afundamento, segundo a empresa.

A Braskem está trabalhando para minimizar os riscos para a população. A empresa já desocupou a área afetada e está monitorando a situação 24 horas por dia.



Veja mais notícias no blogdovalente.com.br e siga o Blog no Google Notícia