IBGE revela densidade econômica brasileira: R$1,061 milhão por km² em 2021

Foto: Agência Brasil

No último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Produto Interno Bruto (PIB) dos Municípios revelou que a densidade econômica do Brasil atingiu a marca de R$1,061 milhão por quilômetro quadrado no ano de 2021.

Um dado curioso ressalta que nove dos dez municípios com as maiores densidades econômicas estão concentrados no estado de São Paulo, consolidando a região como líder na geração de riqueza.

O município de Osasco, em São Paulo, destacou-se como o principal produtor de riqueza, gerando um expressivo valor de R$1,326 bilhão por quilômetro quadrado. Em segundo lugar, São Caetano do Sul/SP registrou R$1,015 bilhão, seguido por Barueri/SP com R$883,2 milhões e Diadema/SP com R$601,5 milhões por quilômetro quadrado. A capital do estado, São Paulo, ocupa a quinta posição no ranking, contribuindo com R$545 milhões por quilômetro quadrado. Essa cifra impressionante ressalta a robustez da economia paulista.

Ao analisar a concentração urbana, São Paulo/SP se destaca mais uma vez, apresentando um rendimento de R$194 milhões por quilômetro quadrado. Em comparação, a concentração urbana do Rio de Janeiro/RJ gerou R$116,9 milhões, demonstrando a disparidade entre as duas metrópoles.

Os números revelados pelo IBGE oferecem uma visão detalhada do cenário econômico brasileiro em 2021, destacando a influência de São Paulo na produção de riqueza e evidenciando a diversidade entre os municípios do país.



Veja mais notícias no blogdovalente.com.br e siga o Blog no Google Notícia