Famílias em situação de pobreza no Rio Grande do Sul vão receber auxílio de R$ 2,5 mil

Foto: Rafa Neddermeyer/Agência Brasil

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), anunciou nesta sexta-feira (17), o início do pagamento de R$ 2,5 mil para famílias em situação de pobreza e extrema pobreza que estão inscritas no Cadastro Único (CadÚnico) e residem em áreas inundadas pelas recentes chuvas. Este auxílio faz parte do programa Volta por Cima.

A primeira fase de pagamentos já contemplou sete mil famílias, com os depósitos efetuados. Até o dia 24 de maio, está previsto que mais 40 mil famílias recebam o auxílio, que será creditado no Cartão Cidadão (Cartão do Devolve ICMS – Banrisul). Em caso de perda do cartão, será necessário solicitar um novo.

“Estamos efetuando hoje (sexta-feira) o depósito para sete mil famílias neste cartão, que são aquelas famílias que as prefeituras já apresentaram os cadastros e estão desabrigadas”, afirmou Leite.

“Não é um recurso específico para qualquer tipo de uso. É para o que elas precisarem”, acrescentou o governador

Além disso, foi anunciado o auxílio Pix SOS para famílias desabrigadas ou desalojadas, inscritas no CadÚnico e com renda de até três salários mínimos. Cada família receberá R$ 2 mil, com os primeiros pagamentos direcionados para as populações de Encantado e Arroio do Meio.

“Arrecadamos mais de R$ 100 milhões no Pix do SOS Rio Grande do Sul. No cartão, emitido com o apoio da Caixa Econômica Federal, será creditado R$ 2 mil. Montamos um comitê com a participação do governo estadual e da sociedade civil que definiu que este recurso deveria ir direto para a mão destas famílias que foram atingidas”, acrescentou Leite.

O governador também destacou a estratégia de reconstrução em três frentes: curto prazo, com transferência de famílias e início de pagamentos; médio prazo, com reconstrução de infraestruturas e avaliação contínua do progresso; e longo prazo, com fortalecimento da resiliência da comunidade e diversificação econômica.

“Para que tenhamos alternativas, sabendo que há estruturas que não vão poder ficar ocupadas por muito tempo. É preciso dar alternativa para a realocação destas pessoas para locais igualmente dignos”, disse Leite.

Para coordenar essas ações, a Secretaria de Parcerias e Concessões será transformada na Secretaria da Reconstrução Gaúcha. Ademais, será criado um Comitê Científico de Adaptação e Resiliência Climática, composto por especialistas e acadêmicos.

“Por que essa secretaria? Porque ela já se dedica a um formato de trabalho em que modela soluções especialmente para infraestrutura e serviços públicos, dando suporte a cada uma das secretarias em suas frentes de trabalho”, explicou ele.

Devido à indisponibilidade temporária do Centro Administrativo Fernando Ferrari (Caff) em Porto Alegre devido às enchentes, foi estabelecido o Centro Administrativo de Contingência (CAC), localizado na Avenida Joaquim Porto Villanova, 201, no Jardim Carvalho.

Este novo espaço abrigará os gabinetes do governador e do vice, além das secretarias.

Com mais de R$ 100 milhões arrecadados via Pix do SOS Rio Grande do Sul, o governo enfatizou o compromisso de garantir alternativas dignas para a realocação das famílias afetadas, em parceria com prefeituras e o governo federal.

Eduardo Leite ressaltou a importância de assegurar que essas famílias não permaneçam em estruturas temporárias por muito tempo, buscando proporcionar condições adequadas de habitação e promovendo a reconstrução e o fortalecimento das comunidades atingidas.



Veja mais notícias no blogdovalente.com.br e siga o Blog no Google Notícia