‘Foi um susto grande, não deu tempo de pegar nada’, diz idoso retirado de casa após rompimento de tubulação de barragem no Ceará

Moradores que foram retirados de casa, neste sábado (22), no entorno da barragem Jati, no interior do Ceará, afirmaram que levaram um grande susto com o rompimento de uma tubulação e que não tiveram tempo de buscar os pertences pessoais nas casas. Duas mil pessoas precisaram deixas as residências após o vazamento. Não há registro de feridos.

A obra onde ocorreu o vazamento faz parte do Eixo Norte da transposição do Rio São Francisco, que foi inaugurado no dia 26 de junho pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

O aposentado José Cândido de Oliveira, 75 anos, morador de Jati, disse que estava em casa no momento do rompimento e viu as pessoas correndo pelas ruas. Ele foi levado junto a mulher para a casa de familiares após o ocorrido.

“Começou um corre-corre. Eu estava em casa, vi na estrada um monte de carro, um monte de gente correndo. A gente saiu de lá porque a gente estava correndo risco, não confiei de ficar lá. A sorte nossa é ter isso aqui(abrigo), se não ‘tava’ na rua. Não deu tempo pegar nada, só os documentos”, lembrou.

O comerciante José Adalto disse que chegou a ver uma casa sendo levada pela força da água. “Foi horrível, nunca vi na minha vida uma coisa assim. Era todo mundo correndo, dizendo que ia morrer, mandando correr para as áreas altas. Era mulher, menino, moto, exagero muito. Era muita água, era coisa feia. Tinha uma casinha embaixo, a água levou a casa, levou o poste, levou tudo. O pessoal deve ter saído na hora”, afirmou o morador.

Ele também lamentou o ocorrido e disse que está dividindo um abrigo com familiares, amigos e outros moradores do entorno da barragem. “Nunca imaginei que ia acontecer. Eu pensei que essa barragem era coisa boa pra gente, mas foi coisa ruim. Foi coisa horrível”.

Evacuação

Os moradores foram retirados de suas casas preventivamente neste por conta do rompimento de uma tubulação, informou o Ministério do Desenvolvimento Regional.

De acordo com o ministério, o vazamento aconteceu na sexta-feira (21) e já foi contido, mas, durante a noite e a madrugada, havia dificuldade de avaliação técnica da estrutura pela falta de iluminação.

Fonte: G1