UPA do Cabula recebe seis casos suspeitos de coronavírus, diz site

UPA do Cabula recebe seis casos suspeitos de coronavírus, diz site

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Cabula, localizada nas proximidades do Hospital Geral Roberto Santos, em Salvador, recebeu seis pacientes com suspeita do novo coronavírus (Covid-19) na tarde desta sexta-feira (13). Segundo o Correio, quatro das seis pessoas tiveram contato com um parente de São Francisco, nos EUA, que testou positivo para a doença.

Estes quatro pacientes ficaram em isolamento na UPA gerida pelo Governo do Estado, mas foram liberados por volta das 22h45 desta sexta. O plantão afirmou que não havia como manter os enfermos na unidade. Dentre eles, um idoso apresenta sinais mais fortes do vírus. Os sintomas apareceram após uma visita do parente norte Americano.

Todos os quatro casos suspeitos realizaram exames e serão notificados em casa, caso testem positivo para Covid-19. A depender dos sintomas, pacientes com suspeita da doença podem aguardar o resultado das análises laboratoriais em domicílio. Para além da notificação, não há informações sobre o monitoramento dos pacientes. Os testes foram encaminhados para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) e ainda não se sabe o prazo para entrega dos resultados.

Outros dois pacientes com sintomas da doença buscaram o serviço de saúde na UPA, mas foram liberados. Segundo fonte do CORREIO, ambos não fizeram viagem para o exterior recententemente e não há informação sobre seus testes laboratoriais. Inicialmente, eles foram colocados em isolamento dentro da unidade de saúde.

Ainda de acordo com o Correio, a unidade está racionando a liberação de máscaras e toucas para os funcionários sob alegação de altos custos mediante a procura no mercado.

Nesta sexta, Salvador registrou os três primeiros casos confirmados de Covid-19. Mais um paciente de Feira de Santana teve testagem positiva para a doença, com isso, número de infectados no estado sobe para sete.

O diagnóstico do coronavírus é feito com a coleta de materiais respiratórios (aspiração de vias aéreas ou indução de escarro). Na suspeita de coronavírus, é necessária a coleta de duas amostras, que serão encaminhadas para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen-BA).

Para confirmar a doença, é preciso realizar exames de biologia molecular que detecte o genoma viral. O diagnóstico do coronavírus é feito com a coleta de amostra, que está indicada sempre que ocorrer a identificação de caso suspeito.

Os casos graves devem ser encaminhados a um Hospital de Referência para isolamento e tratamento. Os casos leves devem ser acompanhados pela Atenção Primária em Saúde (APS) e instituídas medidas de precaução domiciliar.

O paciente com diagnóstico positivo para o novo coronavírus pode possuir grau leve, moderado ou grave da enfermidade viral. A depender da situação clínica, pode ser atendido em unidades primárias de atenção básica, unidades secundárias ou precisar de internação. Mesmo definindo unidades de referência, não significa que ele só pode ser atendido em hospital.

*Correio