Lula se reúne com reitores no Palácio do Planalto e anuncia R$ 5,5 bilhões em investimentos para institutos federais

Investimento inclui abertura de um campi em Jequié, na Bahia

Foto: Ricardo Stuckert

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se reuniu nesta segunda-feira (10), no Palácio do Planalto, com reitores de universidades e institutos federais. O governo anunciou um pacote de investimentos em educação. O encontro foi realizado em meio à greve dos professores e servidores da educação superior, que reivindicam reestruturação de carreira, recomposição salarial e orçamentária, e revogação de normas aprovadas nos governos dos ex-presidentes Michel Temer e Jair Bolsonaro. Lula destacou ainda que ele é o único Presidente da Republica que nunca recusou uma renião com reitores dos institutos e universidade federais.

O ministro da Educação, Camilo Santana, detalhou os investimentos que serão realizados por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC):

  • R$ 3,17 bilhões para consolidação de estruturas acadêmicas, incluindo salas de aula, laboratórios, bibliotecas e centros de convivência.
  • R$ 600 milhões para expansão de novas instalações em diversas regiões do país.
  • R$ 1,75 bilhões destinados aos hospitais universitários, visando melhorias e ampliações.

Além do investimento principal, o governo anunciou um acréscimo de R$ 400 milhões para custeio de universidades (R$ 279,2 milhões) e institutos federais (R$ 120,7 milhões). Com essa recomposição, o orçamento de 2024 para as universidades será de R$ 6,38 bilhões, enquanto os institutos federais terão R$ 2,72 bilhões.

Os recursos contemplarão a construção de 223 novas obras, a continuidade de 20 em andamento e a retomada de 95 projetos. A expansão incluirá a abertura de novos campi em 10 estados: Amazonas, Pará, Ceará, Pernambuco, Sergipe, Bahia, Minas Gerais, São Paulo, Rio Grande do Sul e Goiás.

“Nós achamos que não é possível você se desenvolver as cidades perifericas, as cidades médias e pequenas no interior do país, se você não tiver institutos federais que possam em função desse curso existir em você adptar a realidade do local para que voce tenha capacidade de produzir o desenvolvimento regional.”, disse Lula durante anúncio do pacote de investimentos à educação.

Lula, que começou a carreira política como líder sindical em São Paulo, já declarou que ninguém será punido por causa da greve. O presidente se elegeu para o terceiro mandato com discurso de valorização do ensino público.

Ainda durante a reunião de liberação dos incentivos financeiros, Lula disse que as greves precisam ter “tempo de começar e terminar”. O petista afirmou ainda que os professores universitários estão paralisados há mais de 50 dias e os técnicos-administrativos beiram os 90 dias parados, segundo o presidente “quem está perdendo é o Brasil e os estudantes brasileiros”.



Veja mais notícias no blogdovalente.com.br e siga o Blog no Google Notícia