Pega no doping, Sharapova pode perder até R$ 112 milhões por ano em patrocínios

 

Depois de cair no antidoping, a tenista Maria Sharapova é começa a colher os frutos do problema. Além de poder pegar um pesado gancho, a russa pode ver seu faturamento cair. Nesta terça-feira (8), a Nike anunciou o rompimento do contrato de patrocínio. O vínculo ia até 2018 e Sharapova arrecadava cerca de R$ 32,8 milhões por ano. De acordo com a Forbes, o contrato era o maior entre a empresa americana e uma atleta.

Além da Nike, ela também perdeu os acordos com a fabricante de relógios Tag Heuer, com quem tinha contrato desde 2004, e com a fabricante de automóveis Porsche. Só com patrocínios, a tenista faturou 20,6 milhões de euros (cerca de R$ 85,7 milhões) entre junho de 2014 e 2015.

RTEmagicC_ae4bc1921c.jpg

A especulação é de que a fabricante de cosméticos Avon, a operadora de cartões American Express e a água Evian, além das raquetes Head, devem ser os próximos a desvincular suas marcas da imagem de Sharapova.

Maraia Sharapova foi pega no exame antidoping e está suspensa provisoriamente das competições desde o último sábado e espera uma decisão final do caso, apesar de um julgamento ainda não ter sido marcado. Em uma coleta realizada durante o Aberto da Austrália, em janeiro, ela testou positivo para a substância Meldonium, também conhecida como Mildronato.

A atleta explicou que recebeu uma carta da Federação Internacional de Tênis (ITF, na sigla em inglês com a informação. “Eu fiquei sabendo que fui pega num exame antidoping. Deixo meus fãs chateados, deixo meu esporte chateado”, disse, bastante abalada com a notícia. Em comunicado oficial, a ITF decretou sua punição momentânea.  (Correio)