Prisco defende uso de fundo eleitoral para ações da Covid-19, mas não libera emendas

Nesta segunda-feira (23) a bancada de oposição da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) comunicou ao governador Rui Costa (PT) que abre mão de suas emendas impositivas do ano de 2020 para que os recursos delas sejam revertidos em ações de combate ao coronavírus. Cada parlamentar tem direito a cerca de R$ 1,5 milhão em emendas. Com isso, o estado terá à disposição em torno de R$ 25,5 milhões em recursos oriundos das emendas de parlamentares do bloco oposicionista.

De acordo com informações do Bahia Notícias, de todos os parlamentares que assinaram, o deputado soldado Prisco foi o único da bancada de oposição a não assinar o ofício encaminhado ao governo do Estado autorizando o uso das emendas impositivas nas ações de combate ao coronavírus no estado.

Os deputados que abriram mão das emendas são: Sandro Régis (DEM), Alan Sanches (DEM), Pedro Tavares (DEM), Paulo Câmara (PSDB), Laerte de Vando (PSC), Tiago Correia (PSDB), David Rios (PSDB), Kátia Oliveira (MDB), Luciano Simões Filho (DEM), Capitão Alden (PSL), Marcell Moraes (PSDB), Targino Machado (DEM), Tom Araújo (DEM), Pastor Tom (PSL), José de Arimateia (Republicanos), Talita Oliveira (PSL) e Jurailton Santos (Republicanos).

A judicialização das emendas do parlamentar tem sido o motivo utilizado por ele para justificar a recusa em seguir os colegas de bancada.

Para alguns pares da Casa, a alegação de Prisco é mínima diante da situação, já que a qualquer momento ele poderia abrir mão dos tais processos e liberar os valores. No Instagram, o deputado endossou o coro dos favoráveis à destinação do fundo partidário eleitoral para o combate ao coronavírus, o que parece ser uma boa saída e uma forma de não simplesmente silenciar neste momento