No 1º dia de cadastro do Pix, aplicativos de bancos apresentam instabilidade

Clientes dos maiores bancos privados do país relataram dificuldades nesta segunda-feira (5) para acessar e realizar transações em aplicativos de celular, com relatos de falhas em operações como pagamento de contas e outros serviços. O Banco Central confirmou casos, mas disse que a situação havia sido normalizada já no período da tarde.

O Banco Central informou que o cadastro das chaves Pix está normalizado. “Lembrando que o cadastro pode ser feito a partir de hoje quando o correntista quiser. Hoje é tão somente o início do cadastro. A chave é apenas um facilitador para receber um Pix. Recomendamos muito que o usuário cadastre a chave quando quiser, mas ela não é condição imprescindível para fazer um Pix”, disse o Banco Central em nota.

No caso do Itaú Unibanco, por exemplo, há postagens de usuários no Twitter de pessoas que tentaram acessar o aplicativo do banco e tiveram a operação interrompida por mensagem de erro.

Por nota, a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) confirmou que “a plataforma apresentou instabilidade nos aplicativos das instituições financeiras e de pagamentos nesta manhã”. Segundo a entidade, “as devidas correções prontamente realizadas pelas equipes do Banco Central e, a partir das 11h25 observamos a normalização dos serviços”. A Febraban disse que os bancos estão monitorando este primeiro dia minuto a minuto e em constante contato com as equipes técnicas.

O Itaú disse, em nota, no começo da tarde, que “o acesso ao app para clientes pessoa física já está sendo reestabelecido”. “O banco pede desculpas a seus clientes por qualquer inconveniente e segue atuando para eliminar qualquer instabilidade que ainda possa ocorrer. Vale lembrar que o acesso ao Itaú via internet banking, agências, caixas eletrônicos e centrais de atendimento está funcionando normalmente”, disse. O Banco do Brasil também confirmou problemas “pontuais”. Os demais grandes bancos também foram procurados, mas não responderam até a publicação desta nota.

Fonte: UOL