Contas de começo de ano: veja o que fica mais caro em 2021

Começo de ano o bolso do brasileiro pesa um pouco mais. Além das tradicionais contas básicas, há aquelas indispensáveis que são destinadas ao começo do ano. Geralmente, as contas de começo de ano  vem acompanhada de IPTU, IPVA e matrícula escolar. Só estas três já garantem um valor excessivo no bolso.

Aluguel, plano de saúde, conta de luz, gás de cozinha também devem ficar um pouco mais caros em 2021. Apesar do reajuste do salário mínimo para R$ 1.100, o ano começa sem o auxílio emergencial, que foi cortado do governo federal no final do ano passado e o sem o Benefício Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda – BEm, que socorreram milhões de pessoas durante a crise causada pela pandemia de coronavírus, no ano passado.

IPTU

Em alguns estados, por conta da pandemia da Covid-19,  o valor do o Imposto Predial Territorial Urbano, o IPTU de 2021 será congelado. Os contribuintes pagarão o mesmo valor do ano passado. O IPTU será uma das contas de começo de ano que, se o contribuinte se organizou, não pesará tanto no bolso.

IPVA

Já o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores – IPVA 2021 pode ser quitado integralmente ou parcelado. Os contribuintes baianos vão pagar em 2021, em média, cerca de 3,2% a menos no valor do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), de acordo com portaria que será divulgada pela Secretaria da Fazenda do Estado (Sefaz-Ba). A redução mais significativa é de 5% para os automóveis. O anúncio foi feito pelo governador Rui Costa.

Aluguel

O aluguel, que é calculado através do Índice Geral de Preços e Mercado – IGP-M, que costuma ser usado para reajustar os contratos uma vez por ano, deve ser um pouco mais caro em 2021. Em 2020, o índice fechou com uma alta acumulada de 23,14%, a maior variação anual desde 2002. Com certeza será uma das contas de começo de ano um pouco altas, ao consumidor.

Planos de Saúde

O plano de saúde é uma das contas de inicio de ano que tendem a aumentar em 2021. O cálculo do plano de saúde é medido de acordo com a inflação e, por conta disso, as mensalidades nesse podem ter um aumento de até 35% este ano.

Em razão da pandemia, a Agência Nacional de Saúde – ANS suspendeu o reajuste que seria aplicado em 2020. Ficou decidido que o aumento que valeria para setembro, outubro, novembro e dezembro será cobrado em 12 parcelas a partir de janeiro, mês em que o reajuste de 8,14% (planos individuais) e 15% (coletivos) também passará a valer

Contas de começo de ano – energia elétrica

No último dia de dezembro, a Agência Nacional de Energia Elétrica – Aneel passou a aplicar a bandeira vermelha 2 nas contas de luz, que é a tarifa mais cara prevista no sistema de bandeiras de distribuição de energia elétrica. Veja como funciona as bandeiras de cobrança da energia elétrica no Brasil:

  • Bandeira verde: A tarifa não sofre nenhum acréscimo
  • Bandeira amarela: A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,013 para cada quilowatt-hora (kWh) consumidos
  • Bandeira vermelha 1: A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,042 para cada quilowatt-hora consumido
  • Bandeira vermelha 2: A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,062 para cada quilowatt-hora consumido

Combustível

Com o início da vacinação contra a covid-19 em diversos países, a expectativa é que o consumo de combustíveis volte a crescer —tanto para transporte quanto para a produção industrial. Esse aumento na demanda já fez a cotação do petróleo e dos combustíveis fósseis subir, e isso está sendo repassado ao consumidor. No final de dezembro, a Petrobras anunciou um aumento de 4% no preço médio do diesel em suas refinarias e em 5% no da gasolina.

Gás de cozinha

Diante da atual escalada do preço do petróleo no mercado internacional, o valor do botijão de gás em 2021 também será alto. Aliás ele nunca esteve tão alto no país. Isso se deu por que a Petrobras anunciou um aumento de 6% para o gás liquefeito de petróleo (GLP), que já tinha sido reajustado em 5% no início de dezembro passado. A alta afeta tanto o preço do gás de cozinha, que será vendido nas refinarias por R$ 35,98 o botijão, quanto o GLP a granel, utilizado por indústrias, comércio, condomínios e academias, entre outros.

Mensalidade escolar

As escolas foram as empresas que mais tiveram gastos extras durante a pandemia da Covid-19. Em 2020, para poder atender a demanda de aulas remotas, houve um investimento massivo em novas tecnologias. Consequentemente isso refletiu bastante no reajuste das mensalidades.

De acordo com um levantamento feito por um grupo de consultoria de gestão escolar, o reajuste seria de 5% nos colégios particulares do Estado de São Paulo, porém, a inflação estimada no preço das mensalidades foram de 3% a mais.