UFRB integra parceria que desenvolve novo respirador artificial de baixo custo

Um respirador artificial de baixo custo adaptado com reanimador manual (Ambu) está sendo desenvolvido através de um projeto do Centro de Ciência e Tecnologia em Energia e Sustentabilidade (CETENS) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), em parceria com a FESF-tech, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (Ifba) e a Unopar Candeias.

O projeto, que possui apoio financeiro da Embaixada dos EUA, foi dividido em três etapas: sistema de automação, ensaios laboratoriais e protótipo. A iniciativa está em fase adiantada de desenvolvimento e tem previsão de ser disponibilizado ao Sistema Único de Saúde (SUS) após os ajustes do sistema eletrônico e ensaios laboratoriais já em meados de setembro.

Segundo o docente coordenador do projeto, Fábio Lora, a iniciativa demonstra o quanto a Universidade Pública, através da UFRB, pode atender a comunidade com soluções interdisciplinares.”Essa parceria apresenta o CETENS como um centro de tecnologia e inovação para desenvolvimento de projetos em engenharias com impacto social, retornando à comunidade as competências oriundas do corpo técnico especializado”, afirma.

O docente falou ainda do cronograma de atividades. “Levando-se em conta o atual estágio dos trabalhos, projeta-se que até o final de setembro o protótipo do equipamento deva ser entregue para os testes em ambiente relevante, ou seja, já poderá ser testado pelos profissionais de saúde da área e, posteriormente, homologado pelos órgãos competentes”, disse.

O diretor da FESF-tech, Alisson Sousa, destacou a importãncia da parceria das instituições. “Enquanto instituição do SUS da Bahia, seguimos nossa missão de trazer sempre soluções inovadoras para a saúde. Em articulação com universidades e parceiros, contribuímos com a pesquisa aplicada destinada ao enfrentamento à Covid-19 e desenvolvimento tecnológico no estado Bahia”, comenta.

*Ascom UFRB