Estado lança edital para 52 mil vagas de monitoria do Programa Mais Estudo

Estado lança edital para 52 mil vagas de monitoria do Programa Mais Estudo
O governo do Estado, por meio da Secretaria da Educação (SEC), lançou, nesta quarta-feira (11), o Edital n° 11/2022,  do programa Mais Estudo. São ofertadas 52 mil vagas para que os estudantes possam dar monitoria em Língua Portuguesa, Matemática e Iniciação Científica aos colegas.
Cada monitor é contemplado com uma bolsa de R$ 100 por mês, durante os seis meses da vigência do programa, para atuação no turno oposto ao qual está matriculado. Para a realização do Mais Estudo foram destinados recursos próprios do Estado da ordem de R$ 31,2 milhões.

Além de apoiar as aprendizagens nesses componentes curriculares, o Mais Estudo também tem o objetivo de estimular a participação do estudante no processo educacional; despertar o desejo pela prática docente, por meio de atividades de natureza pedagógica; criar condições para o exercício solidário e parceiro, por meio da interação com os colegas da escola; contribuir com práticas inovadoras de ensino e de aprendizagem, considerando a efetividade do diálogo entre os pares; e favorecer a cooperação entre docentes e estudantes, tendo em vista a melhoria do processo de aprendizagem.

Seleção – A seleção dos estudantes para a monitoria obedece a alguns critérios. Primeiro, as unidades escolares interessadas em participar do programa deverão atualizar os dados de cadastro no Sistema de Gestão do Mais Estudo, pelo link (https://www.educacaobahia.com.br/). Caberá às unidades escolares realizar o processo de seleção dos estudantes, no período de 16 a 27 de maio de 2022.

Para estar apto a participar do Programa Mais Estudo é preciso seguir alguns critérios. Por exemplo, o estudante deve estar regularmente matriculado no ano de 2022; possuir cadastro de Pessoal Física (CPF) devidamente regularizado; e ter obtido aproveitamento no componente curricular no qual pleiteia a monitoria, com média igual ou superior a oito, no ano anterior.

Nas unidades escolares em que não haja alunos com nota média igual ou maior que oito em número suficiente ao preenchimento das vagas disponibilizadas serão considerados elegíveis aqueles com nota média igual ou maior que sete.

Supervisão – Toda a ação da monitoria será acompanhada por professores supervisores. Caberá a eles, dentre outras iniciativas, validar mensalmente os relatórios enviados pelos monitores no Sistema do Programa Mais Estudo, a partir do acompanhamento mensal.

E uma das novidades do programa, para este ano, é que o monitor poderá participar da ação experimental “Sua falta, faz falta!”. A iniciativa é voltada, especialmente, para o engajamento dos monitores no enfrentamento das ausências dos colegas monitorados.

O superintendente de Políticas para a Educação Básica da SEC, Manoel Vicente Calazans, falou do impacto do programa para o aprendizado dos estudantes. “A troca de experiências entre os estudantes através da monitória proposta pelo Mais Estudo efetiva aprendizagens.

Ao ensinar,  o estudante monitor também aprende; é uma via de mão dupla. Muito mais que uma política pedagógica, o Mais Estudo é assistência estudantil, incentivo ao protagonismo dos estudantes e recuperação da aprendizagem dos estudantes com dificuldades nos conteúdos. Todos ganham!”.
Foto: Camila Souza/GOVBA/Assessoria de Comunicação/Secretaria da Educação do Estado da Bahia