Testemunha diz que servidor público morto em Itapuã reagiu a assalto

 

Testemunha conta que o servidor público Maceluan Dantas Magalhães, 40 anos, entrou em luta corporal com o bandido antes de ser morto durante um assalto na noite desta sexta-feira (4), na Rua do Futuro, em Itapuã, a 50 metros de casa. Ainda segundo a testemunha, o bandido conseguiu levar o celular da vítima, mas deixou a mochila que ele carregava com um notebook.

“Eram umas 19h20. Eu estava trabalhando, andando com o carrinho pra ir entregar uma água e vi, a uns 50 metros, a pessoa seguindo ele. Aí deve ter anunciado o assalto e entraram em luta corporal. Foi questão de segundos, aí eu ouvi o tiro”, contou o carregador, que preferiu não se identificar. A testemunha contou ainda que chegou a correr pra lutar com o assaltante, mas o bandido teria apontado a arma e ele saiu correndo. RTEmagicC_MACELUAN_DANTAS_MAGALHAES_4_01.jpg

Segundo amigos, antes do assalto, Maceluan teria passado no Bar do Galego, como fazia sempre, tomado uma cerveja e informado que ia em casa tomar um banho e voltaria. “Ele chegou do trabalho, sentou na minha mesa, tomou uma cerveja e disse: ‘eu vou em casa tomar um banho, jantar e volto pra tomar uma’. Ele ficou muito tempo no chão sangrando. O Samu levou 45 minutos pra chegar”, contou Brandão, morador da Rua do Futuro há 25 anos.

Amigos contaram ainda que o servidor não via o pai, que mora em Belo Horizonte, há quatro anos, e que ele tinha chegado na quinta-feira (2) para visitar o filho.  “Ele morava com a mãe dele. O pai tinha quatro anos que não via, e ele fez questão de trazer o pai, pagou a passagem e ele chegou anteontem”, contou o amigo e empresário Cleã Sidnei.

Na Rua do Futuro, as pessoas lamentavam a tragédia que acabou com a vida de Maceluan. “Ele era um pessoa boa, um cara do bem, inteligente, trabalhador, estava com a família dele, com a namorada. Está todo mundo arrasado”, acrescentou Sidnei. Já o comerciante Roberto Spínola ressalta que o servidor foi alvo da violência justamente quando vivia um dos melhores momentos da sua vida: “Ontem ele me disse que as pessoas falam que a vida começa aos 40. E que realmente a vida dele tava começando agora, quando ele passou no concurso que levou tanto tempo estudando”, destacou Spínola. (Correio)