Governo do Ceará afasta 12 pms envolvidos na ação que resultou na morte de reféns

Governo do Ceará afasta 12 pms envolvidos na ação que resultou na morte de reféns

Os 12 policiais envolvidos na ação que impediu a tentativa de assalto a banco em Milagres, na Região Sul do Ceará, foram afastados das atividades nas ruas e cumprem trabalhos administrativos. A informação publicada pelo jornal Tribuna do Ceará foi dada nesta segunda-feira (10/12) pelo governador Camilo Santana, durante solenidade no Instituto do Câncer do Ceará.

“Quero reiterar e dizer que determinei e será rigorosamente feito, já afastamos inclusive os policiais da rua, que passam a fazer trabalhos administrativos até que sejam apurados todos os fatos ocorridos, repito, lamentavelmente, na última sexta-feira. Foram 12 policiais que estavam nessa ação. Montei uma equipe com mais de 40 homens e a própria CGD, que é independente dos órgãos de segurança, que está apurando, investigando, para que a gente possa dar respostas concretas aos familiares e a sociedade”, disse o governador, que divulgou que as armas de policiais e suspeitos foram encaminhadas para a perícia.

Camilo também comentou a declaração que deu, onde questionava se parte das vítimas da ação criminosa era mesmo de reféns. E reconheceu que foi infeliz na fala.

“Naquela sexta-feira, a informação que chegou ao meu alcance foi de que ainda não havia identificação de quem era refém e de quem era bandido. Acabei, de forma infeliz, sendo mal interpretado pela mídia. Cheguei até a pedir desculpas a família porque não era minha intenção. Até porque quem me conhece sabe que respeito as pessoas”, explicou Camilo Santana.

Durante a tentativa de assalto, 14 pessoas morreram, sendo seis reféns e oito bandidos. Até o momento, oito pessoas foram presas e 24 prestaram depoimento.

*Aratu Online