“Atos antidemocráticos são meus ovos”, diz Carlos após ter depoimentos à PF divulgados

Protocolado pelo PSOL, PT e Rede, o pedido de cassação de Flávio Bolsonaro está há sete meses parado no Senado.

O filho do presidente da República é suspeito de envolvimento com milicianos em um esquema de “rachadinha” na época em que era deputado na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), como aponta investigação do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ).

Segundo informações do colunista Lauro Jardim, do O Globo, o presidente do Conselho de Ética, Jayme Campos, não chegou nem a anunciar se o casos erá ou não discutido pelo colegiado.

Uma das possibilidades seria, inclusive, arquivar o caso, como recomendou a Advocacia do Senado.

A justificativa dada por Jayme pela demora foi a de que não teve acesso ao texto do processo em razão da pandemia. No entanto, o documento é de acesso livre no próprio site do Senado.

BNews