Presos por envolvimento em ataque que matou 3 em praia de Salvador receberam até R$ 50 para participar de ação

Os dois suspeitos presos por participação em ataque, que matou três pessoas em uma praia de Salvador, coordenaram parte da ação para que o atirador pudesse agir com mais rapidez. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira (7), pelos delegados José Bezerra e Odair Carneiro, que estão à frente do caso.

Na quarta-feira (6), um dia após o crime, a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) disse que a dupla foi responsável pelo transporte dos suspeitos que agiram na areia. No entanto, nesta quinta, os delegados detalharam que além do transporte, eles foram coautores do crime, tiveram participação complexa e receberam pagamentos de R$ 30 e R$ 50 para ação.

Segundo o delegado José Bezerra, os dois presos fizeram todo o acompanhamento na praia, para procurar e identificar o alvo dos tiros – Lucas Santos de Souza – na areia. Eles então sinalizaram aos dois suspeitos que ainda não foram identificados, sendo um deles o atirador e o outro o que acompanhou ação de perto. Depois, aguardaram todos os disparos antes de prestar a fuga.

Ainda na quarta-feira, o delegado José Bezerra disse que, apesar dos dois suspeitos, que ainda não foram identificados, terem descido na areia, apenas um deles teria disparado contra as vítimas e o outro teria dado cobertura para que o crime acontecesse.

A dupla presa foi identificada a partir das imagens gravadas por banhistas no local. Eles não tiveram identidade divulgada. Com eles, os policiais encontraram as roupas e os capacetes usados na tarde do crime, terça-feira (5). As duas motos também foram apreendidas.

Os delegados não quiseram adiantar se os suspeitos responsáveis pelos tiros já foram identificados, para não atrapalhar as investigações. A polícia também não descarta a possibilidade de um mandante para o crime. A motivação também não foi revelada.

Com isso, os presos estão sendo autuados por coautoria do triplo homicídio, além de tentativa de homicídio pelas duas vítimas feridas. Os suspeitos passarão por audiência de custódia nesta quinta.

O ataque aconteceu na tarde de terça (5), na praia de Jaguaribe. Os dois suspeitos desceram até a areia e dispararam contra um grupo de amigos que estava no local. Durante a ação, várias pessoas que estavam na praia começaram a correr e acabaram sendo baleadas.

Três pessoas morreram e duas ficaram feridas, depois que dois homens chegaram à praia e um deles disparou contra um grupo de amigos. O alvo dos tiros foi o Lucas Santos de Souza, de 27 anos, que morreu ainda no local. Não há detalhes sobre o enterro dele.

Na correria, a jovem Juliana Celina da Santana Silva Alcântara, 20 anos, que estava na praia com a mãe, e sentada próxima de Lucas, também foi baleada e morreu no local. A mãe de Juliana também foi ferida com um tiro de raspão na perna. Ela foi examinada, teve alta e passa bem.

A mulher foi atendida na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Itapuã, para onde também foram levadas outras duas pessoas, baleadas ao tentarem fugir da ação. Uma dessas pessoas era o adolescente Igor Oliveira Lima Filho, de 17 anos, que não resistiu aos ferimentos e morreu na unidade de saúde.

A outra vítima socorrida para a UPA é um jovem amigo de Lucas, que está internado no Hospital Geral do Estado (HGE) em estado grave.

O corpo de Juliana foi sepultado no Cemitério do Campo Santo, no bairro da Federação, no final da tarde de quarta. Já o corpo do Igor foi enterrado no Cemitério Jardim da Saudade, em Brotas, no início da mesma tarde.

*G1