Deputado que era defensor de cloroquina admite que remédio não funcionou com ele

Defensor do uso da cloroquina para pacientes com Covid-19, o deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ) admitiu, após ser infectado pela doença que o medicamento não foi efetivo em seu caso e ele quase gravou “vídeo de adeus” para sua família

Alinhado ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na defesa de teses sem respaldo das autoridades sanitárias, ele teve 70% do pulmão comprometido e ficou 11 dias na UTI.

Segundo ele, seu tratamento com cloroquina teria começado tarde demais, reverberando tese dos bolsonaristas, igualmente desprovida de comprovação científica, de que a droga deve ser tomada no início do tratamento.

“Mas quando o vírus vem na forma mais grave, acho que nada resolve”, disse. Ele reafirma, contudo, não estar convencido de que o isolamento impede o avanço do vírus.

Sóstenes é ligado ao pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus, que criticou duramente o isolamento social, desprezando as recomendações de cientistas. Apesar do aumento de casos, ambos defenderam a abertura de igrejas.

Todavia, o democrata aconselha Bolsonaro, recentemente diagnosticado com o vírus, a “obedecer a medicina”. Com informações da coluna Painel, da Folha de S.Paulo.

*Bahia.Ba