Justiça concede a Lula acesso a mensagens hackeadas da Lava Jato

Após ser intimado pessoalmente pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski, o juiz plantonista da 10ª Vara Federal do Distrito Federal concedeu ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva o acesso às mensagens da Lava Jato hackeadas.

“Cumpra-se a decisão proferida no âmbito da Reclamação 43.007/DF, na qual o Exmo. Min. Ricardo Lewandowski determinou: (…) ao Juízo da 10ª Vara Federal Criminal do Distrito Federal que assegure ao reclamante, com o apoio de peritos da Polícia Federal, dentro do prazo de até 10 (dez) dias, o compartilhamento das mensagens arrecadadas pela operação Spoofing que lhe digam respeito, direta ou indiretamente, bem assim as que tenham relação com investigações e ações penais contra ele movidas na 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba ou em qualquer outra jurisdição, ainda que estrangeira.
Considerando que os arquivos arrecadados compreendem cerca de 7 TB de memória, envolvendo inclusive terceiras pessoas, advirto que os dados e informações concernentes a esta deverão permanecer sob rigoroso sigilo”, disse o juiz.

Na sequência, ele determina que a decisao seja informada “à Divisão de Contrainteligência da Diretoria de Inteligência da Polícia Federal” e que o material  “deve ser entregue com cópia da decisão constante do ID 409702911, proferida em 28/12/2020”.

Na segunda-feira, Lewandowski determinou que um oficial de Justiça intime pessoalmente o juiz Waldemar Cláudio de Carvalho a cumprir sua decisão de dar acesso à defesa do ex-presidente Lula (PT) de ter acesso às mensagens hackeadas da operação Lava Jato.

Na semana passada, o juiz negou o acesso às mensagens captadas pelo hacker Walter Delgatti Netto que tinha sido determinado por Lewandowski no dia 28 de dezembro. Basicamente, o juiz disse que cabe ao plantonista decidir apenas sobre medidas urgentes. Lewandowski chegou a reiterar a decisão, mas houve nova negativa.

A defesa de Lula quer o acesso às mensagens para reforçar o pedido de suspeição do ex-juiz Sergio Moro e anulação das condenações do petista na Lava Jato.

Fonte: CNN