Presidente da Fundação Palmares chama Moïse de ‘vagabundo’, e OAB diz que estuda medidas

Presidente da Fundação Palmares chama Moïse de 'vagabundo', e OAB diz que estuda medidas
imagem: Reprodução

O presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, fez posts em suas redes sociais nesta sexta-feira (11) em que ataca o congolês Moïse Kabagambe, espancado até a morte em um quiosque na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Camargo postou que a morte de Moïse foi consequência de seu “modo indigno de vida” e o chamou de “vagabundo”.

Ele também postou que “não existe a menor possibilidade” de a Fundação Palmares prestar homenagens ao congolês. Segundo ele, Moïse foi vítima de um crime brutal, mas “não fez nada relevante no campo da cultura”.

Presidente da Fundação Palmares chama Moïse de 'vagabundo', e OAB diz que estuda medidas

O post gerou reação imediata de Rodrigo Mondego, procurador da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB)-RJ, e que vem auxiliando a família de Moïse.

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro, Álvaro Quintão, disse que vai se reunir com a família de Moïse na segunda-feira (14) para tomar providências.

Quintão disse ainda que é triste ver um comentário de quem deveria dar o exemplo, e que estuda ações cíveis, de reparação, ou mesmo ajuizar ações penais contra Sérgio Camargo.

“Vamos nos reunir com a família de Moïse na segunda-feira pela manhã e discutir algo nesse sentido”, disse.

As informações são do G1