Mais de 7 horas livres por dia podem causar infelicidade, diz pesquisa

Foto: reprodução

O dia tem 24 horas e, mesmo assim, muitas vezes falta tempo para realizar as atividades cotidianas. Para equilibrar a rotina, especialistas afirmam que é preciso tirar intervalos durante o dia. Porém, muito tempo livre pode não ser tão bom assim.

Especialistas da American Psychological Association descobriram que mais de sete horas por dia de tempo livre pode deixar as pessoas infelizes. Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores observaram dados do dia a dia de mais de 21 mil americanos que responderam a American Time Use Survey entre 2012 e 2013. Os participantes documentaram o que fizeram durante o período de 24 horas, e disseram como se sentiam ao realizar essas atividades.

O resultado foi surpreendente: depois de duas horas de tempo livre dos voluntários, o aumento do bem-estar se estabilizou. Após cinco horas, começou a declinar. Ou seja, os pesquisadores descobriram que a sensação de bem-estar parece ter uma espécie de validade. O estudo foi publicado na revista científica Journal of Personality and Social Psychology.

Os cientistas norte-americanos realizaram ainda outros dois experimentos para medir o nível de bem estar que as atividades livres desencadeavam nos participantes. Seis mil voluntários participaram do estudo e foram divididos em grupos que teriam 15 minutos de tempo livre por dia, três horas e meia ou sete horas. Os integrantes deveriam registrar os níveis de alegria, felicidade e satisfação. Segundo os estudiosos, o grupo que tirou um pouco mais de três horas de tempo livre foi o considerado mais feliz.

Na segunda experiência, os cientistas analisaram a produtividade dos voluntários. Eles foram deveriam imaginar uma quantidade moderada (três horas e meia) ou alta (sete horas) de tempo livre por dia. Eles precisariam também planejar com quais atividades passariam esse tempo produtivo ou improdutivo.

Os resultados dos cientistas mostraram que as pessoas com mais tempo livre relataram níveis mais baixos de bem-estar quando se engajaram em atividades improdutivas, como dormir, ver televisão, usar o celular ou computador.

A principal autora do estudo, a professora assistente de marketing da The Wharton School, Marissa Sharif, afirmou ao site Daily Mail que a sensação de ter muito tempo nem sempre é boa. “As pessoas costumam reclamar de estar muito ocupadas e dizem querer mais tempo. Mas, na verdade, quanto tempo está ligado a maior felicidade? Nossas descobertas sugerem que terminar com dias inteiros livres para preencher pode deixar alguém igualmente infeliz. Nos casos em que as pessoas se deparam com uma quantidade excessiva de tempo livre, como aposentadoria ou abandono do emprego, nossos resultados mostram que esses indivíduos se beneficiariam em gastar seu tempo recém-adquirido com um propósito”, diz.

*Metrópoles