SAJ: Promotor diz ‘não entender resistência do Atakarejo em aceitar terreno doado às margens da BA-046’

Promotor Julimar Barreto – Foto: reprodução

O promotor da 1ª Promotoria de Justiça de Santo Antônio de Jesus, Julimar Barreto, falou em entrevista coletiva, no início da tarde desta sexta-feira (23/04), sobre o posicionamento do Ministério Público em relação à implantação do Atacadão Atakarejo na Av. Ursicino Pinto de Queiroz, centro de  Santo Antônio de Jesus. 

O promotor afirmou não entender por quais motivos os representantes do Atakarejo têm apresentando, segundo ele, resistência para implantar o empreendimento em um terreno doado pelo empresário ‘Ditinho’ no bairro Clube dos 1000, próximo a BA-046.

“Ali vai ser o eixo vindo da ponte Salvador-Itaparica. A gente não entende, a princípio, a resistência do Atakarejo em se instalar naquele local que vai evitar uma série de problemas que pode causar aqui no centro da cidade junto de residências, junto da Unimed, junto de um condomínio residencial”, disse. 

Dr. Julimar seguiu afirmando que a demora na implantação e os debates que estão acontecendo poderiam ser evitados. 

“Poderia ser tudo isso evitado se ele [o dono do empreendimento] aceitasse gratuitamente este terreno às margens de uma rodovia onde está se crescendo a cidade para aquele lado de lá”, complementou o promotor.

 

PAPEL DO MINISTÉRIO PÚBLICO

 

Segundo o promotor, o Ministério Público  deve atuar nesta situação pois é responsável por zelar pela mobilidade urbana.  

“O ministério público através da primeira promotoria, tem a atribuição de zelar pela questão do urbanismo na cidade, então envolve a questão  das locomoção, da facilidade, das leis municipais que tratam da questão urbanística. Este é um empreendimento sem dúvidas nenhum que vai trazer grandes impactos para toda a sociedade. A gente já tem um problema grave aqui de locomoção”, explicou. 

VEJA A ENTREVISTA COMPLETA DO PROMOTOR ABAIXO: