Moradores fazem campanha de doação para desalojados após barragem romper na Bahia; saiba como ajudar

Moradores da cidade de Coronel João Sá, que foi invadida após a barragem do Quati, que fica na cidade de Pedro Alexandre, se romper, fizeram uma campanha de doações de mantimentos para as famílias que ficaram desalojadas.

Roupas, lençóis, toalhas, colchões e alimentos estão sendo levados para a Escola Municipal Ruy Barbosa. Uma equipe está separando os as doações e entregando para as famílias.

Segundo a diretora da escola, Elane Cristine, as doações começaram a ser entregues na noite de quinta, quando a campanha começou a ser divulgada nas redes sociais.

“Nós iniciamos ontem à noite, colocamos [a campanha] em alguns grupos do Whatsapp. Aí o pessoal foi chegando e a gente foi separando já para o pessoal que estava alojado aqui na escola. Fizemos as doações e agora estamos aguardando chegar mais doações para a gente separar e doar para o resto das famílias que estão sem”, disse a diretora.

A cidade de Coronel João Sá foi a mais atingida pela inundação, porque fica em uma altitude mais baixa que Pedro Alexandre. Cerca de 500 pessoas estão desalojadas.

Em Salvador, as Voluntárias Sociais da Bahia (VSBA) deram início, nesta sexta-feira (12), a uma campanha de arrecadação de donativos para a população dos dois municípios.

A ação, chamada de “Bahia Solidária”, está recebendo doações de produtos de limpeza e higiene pessoal, além de alimentos não perecíveis, água potável e roupas. As entregas podem ser feitas na sede das VSBA, que fica na Rua Baronesa de Sauípe, no Largo do Campo Grande, na capital.

O Sindicato dos Taxistas de Salvador (Sinditáxi) também se movimentou para fazer doações de água, alimentos não perecíveis e roupas para os desalojados. Os donativos recebidos serão separados e encaminhadas para a Defesa Civil e Corpo de Bombeiros. Os interessados devem ligar o para o número 71 9 9245-3096.

Rompimento de Barragem inundou cidades

O governo da Bahia confirmou, na manhã desta sexta, que a barragem do Quati, que fica na cidade de Pedro Alexandre, se rompeu. De acordo com a assessoria de comunicação do governo, técnicos avaliaram o local nesta sexta e constataram que houve colapso.

As fortes chuvas que caem na região aumentaram o volume de água do Rio do Peixe, que deságua na barragem. O percurso do rio entre as cidades de Pedro Alexandre e Coronel João Sá é de cerca de 80 km.

Não houve registro de feridos, nem desaparecidos nas duas cidades. O prefeito de Coronel João Sá, Carlinhos Sobral, chegou a publicar, nas redes sociais, um vídeo para alertar sobre o risco das pessoas continuarem nas casas que ficam às margens do Rio do Peixe.

A água que vazou da barragem seguiu o curso do rio na tarde de quinta-feira (11) e chegou a Coronel João Sá, deixando cerca de 500 desalojados e rastros de destruição por toda a cidade.

A barragem do Quati foi construída pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR) e entregue em novembro de 2000 à Associação de Moradores da Comunidade do distrito. Ela represa o Rio do Peixe para o período de estiagem.

A ponte que passa sobre o Rio do Peixe, em Coronel João Sá, na Bahia, ficou submersa e os bombeiros isolaram a área. Moradores ficaram mais de 18 horas “ilhados” e só começaram a transitar, com a ajuda dos bombeiros, no final da manhã desta sexta.

A água começou a escoar, também na manhã desta sexta-feira, mas ainda chove no município. Os prejuízos são muitos. Casas cheias de lamas e com marcas de água até a metade das paredes. Assim como a ponte, as ruas de Coronel João Sá ficaram alagadas.

Os moradores precisaram deixar as casas e estão alojados nas escolas municipais, que seguem com aulas suspensas.

*G1