SAJ: coordenador do Movimento 11 de Dezembro fala sobre decisão do STF contra donos da fábrica de fogos

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) negou recurso para levar à Corte o caso da explosão de uma fábrica clandestina de fogos de artifício que provocou a morte de 64 pessoas, em Santo Antônio de Jesus, no Recôncavo Baiano. A tragédia dos fogos aconteceu em 1998 e completa 20 anos no próximo dia 11 de dezembro.

A Corte negou um agravo interposto pela defesa de Osvaldo Prazeres Bastos, dono da fazenda na Jueirana onde ficava a fábrica de fogos que explodiu, e suas filhas Helenice Fróes Bastos Lyrio e Adriana Fróes Bastos, que questionaram uma decisão do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) que não permitiu Recurso Extraordinário ao processo, ou seja, que a questão fosse decidida no STF.

Manoel Missionário, coordenador do Movimento 11 de Dezembro, criado para abrigar familiares das vítimas e os sobreviventes da tragédia, em entrevista no Andaiá Urgente, da Rádio Andaiá FM, esclareceu detalhes sobre esta decisão. Assista:

*Andaiá FM




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *