Álvaro Dias confirma que aliado de Dirceu vazou dossiê

A perícia feita em seis computadores de funcionários da Casa Civil encontrou no disco rígido de um deles a troca de e-mails que conteria, em anexo, a planilha em Excel de 28 páginas com gastos sigilosos do casal FHC. Os e-mails, segundo reportagem que acabou de ir ao ar no Jornal Nacional, trariam uma conversa entre José Aparecido Nunes Pires, empregado da Secretária de Controle Interno da Casa Civil, e André Fernandes, assessor do senador Álvaro Dias (PSDB-PR). Às 12h30 do dia 19 de fevereiro, André enviou um e-mail sem mensagem para José Aparecido. Às 14h39, de José Aparecido para André: “Vamos almoçar nesta semana?” Um dia depois, às 8h39, de André para Aparecido: “Te ligo na quinta”. Às 10h46, José Aparecido responde: “André, leia o texto” (que traria em anexo o dossiê). Em entrevista ao Jornal Nacional, Aparecido confirmou a troca de e-mails, mas negou que tivesse anexado algo neles. Depois voltou atrás e disse que teria anexado um texto de 10 a 12 páginas em um deles, mas que o texto nada tinha a ver com dossiê.

Nossa Opinião:

Se o problema é a montagem do dossiê o crime é do assessor de José Dirceu, que até hoje anda fazendo estragos no governo Lula através de sua turma. Sem dúvida este dossiê foi montado para tentar intimidar a oposição, que queria mostrar a farra com os cartões corporativos no governo Lula e esconder os gastos do governo FHC. Quanto ao vazamento, o erro foi do empregado da Secretaria de Controle Interno da Casa Civil, tendo como cúmplice André Fernandes, assessor do senador Álvaro Dias (PSDB-PR) que passou as informações para a imprensa. A imprensa nacional está tentando abafar a cumplicidade do senador do PSDB, mas é curioso que só agora depois do fato ser divulgado pelo Jornal Nacional, Álvaro Dias afirma que seu assessor recebeu o dossiê do funcionário da Casa Civil e o repassou a imprensa.