Gedel nega canditura do PMDB à presidência

Veja abaixo trechos de reportagem com o ministro Geddel Vieira Lima (Integração Nacional), feita pelo jornalista Josias de Souza, da Folha de S. Paulo, a respeito de 2010.

“Dono de um linguajar mais direto que o de Temer, o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), diz que a crise global devolveu o PSDB ao jogo sucessório.

Declara que o discurso da candidatura própria do PMDB é conversa fiada: “O partido tem que trabalhar para manter a aliança com o presidente Lula…”

“…Do contrário, o PMDB teria de adotar um comportamento digno, devolver tudo o que tem no governo e ir embora. Fora disso, é brincadeira”.

Mas Geddel também não tem pressa: “Isso é assunto para segundo semestre do ano que vem”.

Até lá, diz o ministro, “o PMDB deve ter como prioridade a construção da aliança com lula”. Geddel traduz assim o que entende por “prioridade”.

“Eu digo prioridade porque, não sendo mais o presidente Lula o candidato, é preciso analisar a conjuntura…”

“…Num país federado como o nosso, com os interesses que tem, é preciso saber como esse contexto nacional pode se consolidar nas composições dos Estados…”

…Por ora, acho que o PMDB tem que fazer a manifestação de preferência. A boa norma política aconselha a superação dos problemas, para consolidar aliança com o PT”.