Geddel cogitado para ser vice de Dilma em 2010

Parece incrível, mas pode acreditar: é cada vez mais forte no Palácio do Planalto a hipótese de se convidar o ministro peemedebista da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, para candidato a vice na chapa da ministra petista Dilma Rousseff a presidente da República, em 2010. Dilma, como se sabe, é a candidata predileta do presidente Lula à sua sucessão. E Geddel já foi um opositor radical ao primeiro governo de Lula, assim como inimigo figadal do PT. Chegou até a ser acusado pelos petistas de integrar a chamada máfia dos anões do Orçamento. Devido a essas acusações, o hoje ministro teve que depor na Comissão Parlamentar de Inquérito do Orçamento, chorou copiosamente e acabou absolvido. Mas suas relações com o PT, daquela época em diante, só foram se deteriorando. O ápice foi quando Geddel integrou a ala do PMDB que rompeu com Itamar Franco e forçou o apoio do partido ao governo do então presidente Fernando Henrique Cardoso, do PSDB. Geddel e seu grupo tornaram-se quase tucanos e entraram de cabeça no apoio à candidatura de José Serra a presidente, em 2002. Passou o primeiro mandato de Lula, inteiro, na oposição. Até que, nas eleições de 2006, se compôs na Bahia com o PT para eleger governador o petista Jaques Wagner, contra o grupo do ex-cacique Antonio Carlos Magalhães. Aí, sim, Geddel começou a ter livre acesso ao Palácio do Planalto e se credenciou para comandar o Ministério da Integração, representando o PMDB.