Acusada de aliciamento, MC Mirella foi vítima de esquema de exploração sexual

Foto: Play Plus

A cantora MC Mirella, que em 2019 foi acusada de aliciar menores de idade pelas redes sociais para fazer programas, foi vítima de um esquema de exploração sexual aos 17 anos.

Uma matéria exibida pelo Fantástico no último domingo (2), detalhou o funcionamento de um esquema de tráfico de mulheres liderado por Rodrigo Otávio Cotait, no qual mostrou que a artista foi uma das vítimas do “empresário” na Operação Harém.

De acordo com a advogada da artista, Adélia Soares, a cantora aparece como testemunha no processo. “Essa quadrilha contratou ela, tentou levá-la. Então, houve realmente essa situação, mas não sofrendo o crime, não se concretizou o crime”.

O esquema, controlado pelo poderoso empresário Wissam Nassar, ainda tem como associada a modelo Nubia Oliiver, de 47 anos.

Foto: Record TV
Foto: Record TV

Segundo a reportagem do SBT News, a famosa teria sido agenciada por Rodrigo Otávio Cotait, e era uma das pessoas que facilitavam o contato para a cabeça da quadrilha, e recebia R$ 1 mil como comissão para cada programa sexual firmado.

Por meio de nota, Núbia afirmou que não iria se pronunciar sobre o processo por seguir em segredo de Justiça. “Como os autos tramitam em sigilo, por ora, a defesa técnica da Sra. Núbia Cassia Ferreira de Oliveira, irá respeitá-lo, ou seja, não nos manifestaremos sobre a investigação policial federal. Aliado a isso, fomos constituídos na data de ontem, e ainda não conseguimos acesso ao inteiro teor. Em momento oportuno poderemos falar”.

*Bahia.Ba