Planilhas revelam que PCC pagava até açougue e leite das crianças para famílias de detentos

Planilhas analisadas pela Polícia Federal em um inquérito contra o Primeiro Comando da Capital (PCC) revelam que gastos diversos das casas de apoio a famílias de integrantes da facção nas proximidades de presídios eram bancados pelo caixa do grupo. A informação é da coluna Painel, da Folha.

As tabelas obtidas pela coluna trazem despesas com açougue, manutenção e instalação de chuveiro, táxi, frutas, verduras e até “leite para as crianças”.

Ainda segundo a investigação, mesadas pagas a membros variam de acordo com os serviços prestados ao comando. Existem três escalas de valores de repasses mensais: R$ 1.500 para os presos por envolvimento em situações particulares, R$ 3.000 para quem entrou no presídio por relação direta com a organização e R$ 4.000 para detidos em razão de missão determinada pelo PCC, como o assassinato de agentes públicos.

A investigação levou à deflagração da segunda fase da operação Caixa Forte, na segunda (31) passada. A ação envolveu o cumprimento de 623 ordens judiciais, sendo 422 mandados de prisão preventiva e 201 mandados de busca e apreensão.

METRO1