Por conta do Renda Cidadã, Ibovespa volta a cair e dólar bate R$ 5,65

 

Apesar de uma leve alta, em razão do discurso comprometido com as responsabilidades fiscais e com o teto de gastos do presidente Bolsonaro, a Ibovespa sofre novamente uma queda nesta terça-feira (29). Pela manhã, a notícia da reunião governamental que visava revisar o plano de financiamento do programa Renda Cidadã animou o mercado financeiro.

Porém, o posicionamento dado pelo senador Márcio Bittar (MDB-AC), relator da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Pacto Federativo, de que serão usados recursos da Fundeb e precatórios para financiar a novo proposta de programa social, fez com que a Bolsa perdesse força, segundo a BP Money.

Às 13h54 o Ibovespa tinha leve queda de 0,87%, aos 93.838 pontos. Já o dólar comercial sobe 0,3% a R$ 5,649 na compra e a R$ 5,65 na venda. O dólar futuro com vencimento em outubro operava em leve baixa de 0,31% a R$ 5,644.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) decidiu como sendo inconstitucional a proposta do substituto do Auxílio Emergencial ser financiada com esses recursos, e apontou como uma possível pedalada fiscal. Devido a isso, a Bolsa desabou no pregão de ontem. Além de mal vista por economistas e investidores, as duas novas propostas do governo foram recebidas como uma forma de “contabilidade criativa”, recurso estratégico usado também pela ex-presidente Dilma Rousseff com o intuito de melhorar o resultado fiscal do país, segundo a Folha de S.Paulo.

Sobre a criação do novo imposto de transações financeiras digitais aos moldes da CPMF, o ministro da Economia, Paulo Guedes, reiterou que a ideia está sendo discutida para se chegar a um consenso. Mesmo com essa declaração, a falta de objetividade e clareza apresentada pelos ministros e pelo próprio presidente fez com que a Bolsa voltasse a cair.

Como Guedes foi impossibilitado de incluir um novo imposto e seu evidente enfraquecimento na reforma tributária, a equipe de análise do Travelex Bank avalia que o desgaste do ministro tende a intensificar-se.