Banco do Brasil conquista prêmio Ambição 2030 da ONU

O banco foi homenageado por seu conjunto de medidas dedicadas à promoção da igualdade e inclusão étnico-racial, visando combater o racismo estrutural no país – Foto: Divulgação

O Banco do Brasil e sua presidente, Tarciana Medeiros, foram homenageados na primeira edição do Prêmio Ambição 2030 da ONU, em reconhecimento às suas iniciativas de inclusão étnico-racial e de equidade de gênero.

O Banco do Brasil foi premiado por seu conjunto de medidas para promover a igualdade e inclusão étnico-racial, visando combater o racismo estrutural no país. A instituição também foi reconhecida por apoiar o empreendedorismo de mulheres através das cadeias de suprimentos e marketing, com práticas de desenvolvimento empresarial que empoderam as mulheres. Tarciana Medeiros foi premiada como CEO nas categorias “Raça é Prioridade” e “Elas Lideram”, por seu compromisso com a diversidade e a sustentabilidade.

As ações do Banco do Brasil demonstram impacto positivo para clientes, funcionários, fornecedores e parceiros, contribuindo para a inclusão financeira e a geração de trabalho e renda. A diversidade é fundamental para a gestão do banco, e Tarciana Medeiros tem liderado a conquista de importantes resultados em equidade de gênero e inclusão da população preta e parda.

Em seu primeiro ano como presidenta, Tarciana Medeiros avançou com compromissos pela diversidade e pela sustentabilidade. Sob sua liderança, o banco lançou um programa inovador e estabeleceu um comitê dedicado à promoção da diversidade.

O BB assumiu compromissos públicos com metas concretas em sustentabilidade, incluindo objetivos relacionados à equidade de gênero e raça. O banco também se tornou embaixador de três movimentos do Pacto Global das Nações Unidas: “Elas Lideram”, “Raça é Prioridade” e “Salário Digno”.

Tais iniciativas renderam reconhecimentos significativos tanto nacional quanto internacionalmente. O Banco do Brasil figura no topo da lista B3 (iDiversa B3) e foi novamente reconhecido como o banco mais sustentável do mundo.

O Banco do Brasil tem realizado parcerias com diversas instituições representativas do povo negro na sociedade brasileira, como o Ministério da Igualdade Racial e a Universidade Zumbi dos Palmares. O objetivo é promover diálogos com movimentos negros e associações populares para desenvolver ações conjuntas em torno do tema da inclusão.

No âmbito da igualdade de gênero, o Banco e Tarciana têm lugar de destaque por incentivarem o aumento da participação de mulheres em cargos de liderança e a criação de programas voltados ao empreendedorismo feminino.

Como exemplo, o Mulheres no Topo, programa lançado pelo BB em março de 2023, em apoio ao empreendedorismo de mulheres por meio das cadeias de suprimentos e marketing, com implementação de práticas de desenvolvimento empresarial que empoderem as mulheres. Em uma plataforma específica, concentram-se soluções financeiras, educação empreendedora, estímulo à saúde e segurança, além de eventos relevantes voltados às mulheres empreendedoras.

A primeira edição dos prêmios Ambição 2030 coincide com a 68ª Comissão da Situação da Mulher, cujo tema prioritário é alcançar a igualdade de gênero e o empoderamento de todas as mulheres e meninas. Este evento reúne líderes empresariais, representantes da sociedade civil, membros da imprensa, autoridades da ONU e governamentais em discussões até 22 de março.

Também no primeiro trimestre deste ano, o Banco do Brasil foi reconhecido como Banco mais sustentável do Mundo pelo ranking Global 100 2024 da Corporate Knigths, Banco Mais Sustentável da América do Sul 2024 pela Capital Finance International (CFI), e das empresas top 5% em sustentabilidade pelo Sustainability Yearbook da S&P Global.



Veja mais notícias no blogdovalente.com.br e siga o Blog no Google Notícia