Ministério Público da Espanha pede que Daniel Alves não tenha liberdade provisória

Daniel Alves segue preso na Espanha após o Ministério Público local ter apresentado um recurso contra a sua liberdade provisória, concedida pela Justiça na última quarta-feira (20). Os promotores argumentam que o jogador de 40 anos pode tentar fugir do país caso seja solto, especialmente por ainda não ter pago a fiança de 1 milhão de euros (aproximadamente R$ 5,3 milhões).

Esta não é a primeira vez que o MP espanhol se posiciona contra a liberdade de Daniel Alves. No início deste mês, a promotoria já havia sinalizado que entraria com um recurso pedindo uma pena mais dura para o brasileiro, elevando a sua condenação de 4 anos e meio de prisão para 9 anos.

Daniel Alves foi acusado de agressão sexual por uma mulher de 23 anos em uma boate em Barcelona, na madrugada de 31 de dezembro de 2022. Ele foi preso em 20 de janeiro de 2023 e condenado em fevereiro deste ano.

A Justiça da Espanha concedeu a liberdade provisória a Daniel Alves mediante o pagamento da fiança e outras medidas restritivas, como:

  • Manter-se a 1 km de distância da residência ou trabalho da vítima;
  • Proibição de se comunicar com a vítima;
  • Impedimento de deixar a Espanha;
  • Comparecimento semanal ao Tribunal de Barcelona.

Antes da condenação, Daniel Alves teve cinco solicitações de liberdade provisória negadas pela Justiça, que alegou risco de fuga, destruição de provas ou reincidência. A imprensa da Catalunha sugere que a crise no sistema carcerário espanhol pode ter influenciado na decisão de conceder a liberdade provisória neste momento.

O jogador ainda não pagou a fiança e deve passar o fim de semana na cadeia. A decisão final sobre a sua liberdade provisória caberá à Justiça espanhola, que analisará o recurso apresentado pelo Ministério Público.



Veja mais notícias no blogdovalente.com.br e siga o Blog no Google Notícia