Morre aos 104 anos a mestra artesã Dona Cadu, em Maragojipe

Morre aos 104 anos a líder artesã em Maragojipe – Foto: Agência Dudes

Faleceu nesta terça-feira (21) a líder do artesanato de Maragojipe, Ricardina Pereira da Silva, mais conhecida como a mestra artesã Dona Cadu, aos 104 anos. Respeitada ceramista no cenário do artesanato, a baiana de origem afro-indígena era também sambadeira, rezadeira e líder comunitária.

A Coordenação de Fomento ao Artesanato/Setre e toda a equipe do Artesanato da Bahia manifestaram pesar e sentimentos à família pela morte da líder artesã, destacando seu legado como mestra da cerâmica, sambadeira e pela significativa contribuição à comunidade de Coqueiros e à cultura baiana.

Ainda menina, Dona Cadu aprendeu a manipular o barro com a mãe, no distrito de Coqueiros, em Maragojipe. Ela se destacou ao desenvolver uma técnica própria para produzir moquequeiras, frigideiras e outras peças de cerâmica de qualidade, ensinando essa arte a outras pessoas.

Em 2021, Dona Cadu foi reconhecida como Doutora Honoris Causa pela Universidade Federal da Bahia, uma distinção máxima concedida em honra ao progresso das Ciências, Artes ou Cultura, também destinada a pessoas sem graduação ou especialização formal.

Homenageada na Expo Casa do Artesanato da Bahia em agosto do ano passado, a centenária mestra artesã afirmou que não pensava em parar de produzir suas famosas panelas de cerâmica. “Parar de trabalhar para quê? Hoje mesmo, antes de vir para Salvador, fiz algumas peças”, disse orgulhosa.

No mesmo ano, durante o Festival da Cerâmica Maragogipinho, realizado em novembro, Dona Cadu foi uma das certificadas com o Prêmio Mestras e Mestres da Cerâmica pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia.



Veja mais notícias no blogdovalente.com.br e siga o Blog no Google Notícia