Salvador receberá relíquias de Santa Teresinha neste final de semana; “doutora da igreja” possui milhões de devotos em todo o mundo

Foto: Luiz Lopes Jr/CNBB

A cidade de Salvador será local de mais um ato histórico e religioso. A capital baiana que tem em uma de suas marcas a religiosidade, fé e devoção, receberá, a partir desta quinta-feira (30), as sagradas relíquias de Santa Teresinha do Menino Jesus. 

 

Segundo a Igreja Católica, as relíquias são partes dos corpos, objetos ou vestimentas dos santos e beatos, que seriam “sinais sagrados da ação de Deus por meio deles”.

 

Santa Teresinha, a “santa das rosas”, como é popularmente conhecida, é considerada, pela Igreja Católica, uma das grandes e maiores referências religiosas dos tempos modernos. Ela ainda é considerada como “doutora da igreja”. 

 

Em sua trajetória, a santa viveu, de maneira discreta, na simplicidade de uma comunidade monástica francesa no século XIX. E, a partir do século XX, ganhou destaque no meio cristão.

 

A programação com os históricos objetos da figura católica se inicia também nesta quinta, quando serão desembarcados na cidade e ficarão sob os cuidados da Ordem de Nossa Senhora do Monte Carmelo – Carmelitas Descalças, no Carmelo da Bahia (Alameda Monte Carmelo, Brotas).

 

No mesmo dia, às 17h, será celebrada a missa de acolhida oficial das relíquias, presidida pelo o bispo auxiliar, Dom Marco Eugênio Galrão. Depois, a partir das 20h será iniciada a vigília orante e silenciosa, que seguirá até às 5h do dia 31 de maio.

Já na sexta-feira (31), acontecerá celebrações eucarísticas às 7h15, celebrada pelo capelão do Carmelo da Bahia, padre Sergio Reis Santos, CSsR; às 10h30, presidida pelo bispo auxiliar, Dom Dorival Barreto; e às 17h, sob a presidência do capelão da Base Aérea de Salvador, padre Osório Soares de Freitas. Depois, às 19h acontecerá o momento oracional com os seminaristas do Seminário São João Maria Vianney, no Carmelo.

 

Os eventos com a urna-relicário se encerram no sábado (1º), quando outras celebrações acontecerão às 7h15 e às 10h30, celebrada pelo bispo auxiliar, Dom Valter Magno de Carvalho. 

 

Logo depois, o relicário será levado para o Santuário Santa Dulce dos Pobres onde acontecerá, às 12h, mais uma Santa Missa. Por volta das 15h, as relíquias serão levadas de volta ao Carmelo da Bahia. As comemorações pelos os 151 anos de Santa Teresinha se encerram com uma última missa, celebrada pelo Arcebispo de São Salvador da Bahia, Primaz do Brasil, Cardeal Dom Sérgio da Rocha, que presidirá a Santa Missa Solene, às 17h. 

 

Esta é a segunda vez que os itens de memória da santa vêm a Salvador. A primeira vez aconteceu nos anos 90, com o Cardeal Dom Lucas Moreira Neves. A Irmã Maria Teresa Carmelo da Ordem das Carmelitas comemorou a chegada dos itens sagrados e relembrou a importância da santa para a humanidade. 

 

“Estamos muito felizes por recebermos as relíquias da nossa santa irmã Teresinha do Menino Jesus. Grande santa, modelo da nossa vocação, e também sabemos que seu ensinamento não é útil somente para nós, carmelitas descalças, mas para todas as pequenas almas que querem amar Jesus. Por isso, convidamos a todos, com muita alegria neste momento, para que possam estar aqui e rezar juntas as relíquias de Santa Terezinha nestes dias de 30 até o dia 1º de junho, quando teremos a sua presença entre nós, dispensando graças sobre a nossa cidade de São Salvador da Bahia”, celebrou Maria Teresa.

Esta é a segunda vez que os itens de memória da santa vêm a Salvador. De acordo com o Frei Ícaro, capelão do Santuário de Santa Dulce dos Pobres, o momento será especial para os devotos da francesa e da baiana venerar as trajetórias das duas que mesmo sendo de épocas distintas, têm características em comum.  

 

“[Santa Teresinha] é uma santa relativamente recente e sua fama se espalhou por todo mundo, pois ela constituía um caminho espiritual muito bonito, com pequenos oferecimentos diários para chegar até Deus. […] Muitas pessoas são devotas de Santa Teresinha e vão encontrar também nesse dia uma oportunidade de ver ela e Santa Dulce juntas. Mesmo que elas tenham vivido em épocas diferentes, nunca tenham se encontrado na terra, será uma oportunidade de venerar essas duas santas juntas no mesmo dia. Aqui no santuário nós temos as relíquias de Santa Dulce e essas relíquias vão se encontrar com as Relíquias de Santa Teresa”, explicou ainda em conversa com o site. 

O sacerdote comentou ainda sobre o significado do evento para a capital baiana.  

“Eventos como esses marcam a vida da fé das pessoas e também as faz procurar mais a Jesus. É procurar viver mais a santidade como forma concreta de vida. Nós católicos sabemos que a veneração das relíquias dos santos nos trazem muitas graças espirituais. Então são inspirações para nós para que também possamos viver a fé com a autenticidade”, enfatizou.

 



Veja mais notícias no blogdovalente.com.br e siga o Blog no Google Notícia