Popularidade de Rui e Neto caem em meio a ‘cansaço’ da população com quarentena

A popularidade do governador Rui Costa (PT) e o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), sofreu com pequenas quedas em uma última pesquisa realizada pelo Grupo A Tarde em parceria com o Instituto Data Poder360.

De acordo com o jornal, a leve redução da taxa de aprovação segue uma tendência verificada no resto do país nas últimas duas semanas, período em que governadores e prefeitos parecem ter piorado suas imagens.

Na Bahia, a avaliação positiva de Rui caiu de 52% para 48% e a negativa subiu de 15% para 18%. Na capital baiana, o governador segue bem avaliado, com 60% dos soteropolitanos afirmando considerar sua gestão como ótima ou boa. No entanto, esse número representa uma queda de cinco pontos percentuais em relação há 15 dias, quando a avaliação positiva de Rui Costa na capital era de 65%.

Situação similar passa o prefeito ACM Neto, que segue bem avaliado, ainda melhor que o governador, com 71% de ótimo e bom. Mas assim como Rui Costa, o número aponta uma queda de quatro pontos percentuais em comparação com a pesquisa DataPoder360 do final de junho, quando ACM Neto apresentou 75% de avaliação positiva em Salvador.

Segundo o DataPoder360, no país, de forma geral, a avaliação de governos estaduais e prefeituras piorou significativamente nesta rodada. A avaliação positiva média dos governadores caiu de 41% no final de junho para 34% agora, enquanto a avaliação positiva das prefeituras foi de 38% para 30%. É um forte indício, concluiu a pesquisa, de que as consequências políticas da pandemia, do distanciamento social e da crise econômica começaram a afetar as realidades locais.

Quando se recorta por região, os governadores do Nordeste são os mais bem avaliados com 53% na média geral. Na outra ponta estão os chefes dos Executivos estaduais do Sul e Sudeste com apenas 26% de ótimo ou bom. Os governadores do Norte vêm logo em seguido com 28% de aprovação em média, enquanto os do Centro-oeste ficaram com 34% de ótimo ou bom na última pesquisa.

O cientista político Rodolfo Costa Pinto, diretor do DataPoder360, apontou que é difícil elencar uma razão única para a queda na popularidade dos governantes, mas sinalizou que a oscilação indica um cansaço da população com medidas de restrição. “São várias razões e em cada estado e cidade, as realidades são diferentes. Porém, de maneira geral, parece ser um cansaço generalizado dos meses de distanciamento social e da vida sob a Covid-19”, falou Costa Pinto.

“É preciso observar que governadores e prefeitos conseguiram aumentar suas taxas de popularidade logo no início da crise e mantiveram esse aumento por algum tempo. Agora, com quase quatro meses de pandemia, esses números começam a voltar ao patamar anterior”, completou.

Fonte: Bahia Notícias