ACM Neto diz que vai “deixar porta aberta para o Carnaval” e afirma que reabertura total de praias “não deve demorar”

Uma reunião virtual na noite desta última terça-feira (27) definiu que em 2021 não vai ter Carnaval de rua na cidade do Rio. O encontro contou com representantes dos blocos, da Riotur e de especialistas em saúde e em segurança pública. Em Salvador, outro grande destino da folia momesca no país, ainda não se chegou a um posicionamento definitivo.

Durante coletiva na manhã desta sexta-feira (30), o prefeito ACM Neto (DEM) disse que está próximo de uma definição, que será divulgada neste mês de novembro. “Ainda temos um pouco de tempo. Estou com o Revéillon, diria que 99% fechado. Quero ver se anúncio tudo junto, ainda no mês de novembro. Eu vi a decisão do Rio de Janeiro. Ela veio com campanha de que não vai ter nenhum Carnaval em 2021. Esse não era o nosso desejo inicial: o nosso é deixar a porta aberta para a possibilidade de um evento depois de fevereiro. De novembro não passa [o anúncio]”.

Neto ainda falou sobre outras festas populares, que agitam o verão baiano e tornam Salvador como um dos principais destinos turísticos do Brasil nesta temporada. “Nós não vamos ter as festas populares como existiam. Aí, caberá a Prefeitura e os organizadores garantir que aconteça, mas adequada com a nova realidade. Bonfim, Festa de Iemanjá… tudo isso terá um modelo, um formato diferente. Se depender da Prefeitura não haverá aglomeração”.

PRAIAS 

Por fim, Neto falou que a reabertura das praias em Salvador nos finais de semana não deve demorar para acontecer. Ele afirmou que vai avaliar qual o impacto do retorno das aulas do ensino superior para estipular uma data para a liberação.

“Penso que não vai demorar, mas para que a gente não tenha muita coisa voltando ao mesmo tempo, é bom observar outros lugares do mundo que estão fechando tudo. Nós não somos melhores e nem piores do que ninguém. Infelizmente a gente anda na rua e vê gente sem máscara, fazendo aglomeração. Se todo mundo tivesse respeitando uso da máscara, distanciamento e higienização, com certeza a gente não estaria aqui com esse nível de preocupação”.

Fonte: Aratu on