Operação São João: PRF e Agerba intensificam fiscalização nas estradas baianas durante período junino

Foto: Divulgação PRF

Estão faltando cinco dias para o início do período junino e a operação especial nas estradas para fiscalizar irregularidades de quem mesmo sem festas vai viajar inicia na próxima segunda-feira (21). De acordo com a Agerba, as  blitz vão acontecer nas principais estradas e terminais da Bahia, com o apoio dos policiais do Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual e da Polícia Rodoviária Federal.

Em nota enviada à Tribuna da Bahia, a Agerba destacou que “por se tratar de um dado estratégico não podemos revelar os números de fiscais. Mas as operações acontecem em todas as regiões do estado. A Agerba está distribuída em 12 polos regionais nas cidades de Alagoinhas, Barreiras, Bom Jesus da Lapa, Feira de Santana, Itabuna, Jequié, Juazeiro, Salvador, Santo Antônio de Jesus, Seabra, Teixeira de Freitas e Vitória da Conquista”.

Devido ao decreto que proíbe a operação de linhas do sistema de transporte rodoviário, a Agerba irá fiscalizar o atendimento às regras por parte das empresas e ampliar o combate ao transporte irregular (realizado por vans e carros de passeios sem licenças para o transporte de passageiros). Motoristas flagrados operando irregularmente serão autuados e podem ter o carro apreendido.

A Agerba também orienta a população que evite viajar no período de restrição dos transportes, principalmente em veículos irregulares (como em carro por lotação), que muitas vezes não oferecem as devidas condições de segurança. Em caso de flagrante o motorista será autuado e os passageiros são impedidos de seguir viagem. A medida é temporária e visa conter o avanço da contaminação pelo coronavírus.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) também está intensificando as fiscalizações nas estradas que já demonstram fluxo grande de veículos, como a BR 324. A expectativa é que semana que vem aumente ainda mais a movimentação. “O fluxo das rodovias já está parecido com 2019, ano antes da pandemia do coronavírus. Mas estamos atentos ao fluxo da rodovia  independente do que poderá acontecer  estamos iniciando uma operação nacional chamada Rota Brasil e vamos intensificar a fiscalização tanto ao combate a criminalidade como aos acidentes  tentando conter o número de mortes nas rodovias”, garante Jefferson Almeida chefe de operações da PRF.

Segundo Jefferson, o  período do São João juntamente com a semana Santa são os dois feriados que preocupam em termos de acidente, porque a população sai da capital em direção ao interior. Existe ainda a associação ao consumo de bebida alcoólica. Ficamos vigilantes”.

O transporte coletivo intermunicipal rodoviário e hidroviário estará  suspenso, em toda a Bahia, no período junino. A medida, que tem o objetivo de evitar a disseminação da covid-19, foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) na última terça-feira (15).

O decreto prevê que ficam suspensas, a partir da meia-noite do dia 21 de junho, a circulação e a saída, e, a partir das 9 horas  de 21 de junho, a chegada de qualquer transporte coletivo intermunicipal rodoviário, público e privado, nas modalidades regular, fretamento, complementar, alternativo e de vans. A restrição vale até às 5h de 28 de junho.

A circulação, a saída e a chegada de ferry boats e catamarãs também ficam proibidas das 20h do dia 21 de junho até às 5 horas de 28 de junho, em todo território baiano. Já as lanchinhas e balsas poderão funcionar no período de 21 a 28 de junho, porém deverão obedecer  o limite de 50% da capacidade das embarcações.

Desde  a última terça-feira (15) até domingo (20) e de 28 de junho a 4 de julho, a circulação, a saída e a chegada dos transportes serão permitidas desde que a ocupação seja limitada a 70% da capacidade. Não haverá disponibilização de transportes extras.

“O transporte de passageiros intermunicipal depende de autorização do Estado e do Interestadual do Governo Federal através da ANTT. Então  a PRF em conjunto com a Agerba ou ANTT vai efetuar a fiscalização, se constatada a irregularidade vamos proceder como de praxe. Tanto Vans como veículos particulares e ônibus vão ser fiscalizados. Quando os transportes públicos são proibidos, a gente percebe um aumento dos ‘ligeirinhos’, aqueles carros particulares que fazem transporte de uma cidade para outra. É proibido e vamos fiscalizar. Em geral são veículos que não passaram por inspeção, às vezes até os motoristas estão sem a carteira de habilitação”, finalizou Jefferson.