Rui admite remoção compulsória de população de áreas alagadas no extremo sul

Rui admite remoção compulsória de população de áreas alagadas no extremo sul
Foto: Divulgação

Após assinar decreto que reconhece Situação de Emergência em 24 municípios do estado, o governador Rui Costa se pronunciou sobre a situação delicada pela qual passa a população do Extremo Sul da Bahia em decorrência das fortes chuvas.

O gestor fez um apelo para que os moradores de regiões próximas aos rios deixem suas casas. “Gostaria de reiterar à população que está em encostas e lugares baixos. Por favor, saia, procure a casa de familiares, amigos, procure a defesa civil”, disse Rui, que admite a remoção compulsória daqueles que se recusem a sair das áreas de risco. “Não vamos deixar uma criança morrer porque seu pai e sua mãe não quer sair de casa mesmo sabendo que vai ficar debaixo d’água”, argumentou.

O governador baiano relatou ainda os obstáculos para a operação de equipes envolvidas nos resgates. “Nós enviamos barcos e botes dos bombeiros, existe uma grande dificuldade em ter acesso às localidades. Helicópteros não conseguiram operar na maior parte do tempo”, contou Rui Costa, revelando que tentou visitar a região, mas foi impedido pelas condições climáticas.

“Eu tentei ir ontem, mas a meteorologia não deu condição”, relatou o petista, que disse ter cancelado agendas para tentar viajar novamente nesta sexta-feira (10), mas foi informado por especialistas de que não haveria condições de voo e tampouco visibilidade.

“Estou monitorando, amanhã, mais tardar domingo, as condições permitirão que eu vá de helicóptero. Porque eu quero pousar em vários locais, vou visitar várias cidade, e isso só é possível fazer com condições mínimas de chegar no local”, afirmou.

Dentre as ações do governo anunciadas por ele para ajudar a população atingida pelas chuvas está a distribuição de colchões para os desabrigados, além de ceder espaços como escolas estaduais e ginásios de esportes para que as pessoas possam se alojar. Rui Costa garantiu ainda que o governo deve se empenhar também na reconstrução de estradas e pontes destruídas após as enchentes.

Além disso, o gestor estabeleceu a realização de reuniões emergenciais diários com prefeitos dos municípios atingidos para “alinhar e tomar providências”, buscando “atuar a partir das informações” e resgatar as pessoas olhadas.

Fonte: Bahia.ba