GGB denuncia caso de homofobia a doador de sangue; Hemoba nega discriminação

GGB denuncia caso de homofobia a doador de sangue; Hemoba nega discriminação
Caso teria acontecido em Senhor do Bonfim | Foto: Reprodução/Google Street View

O Grupo Gay da Bahia (GGB) denunciou neste último sábado (8), através de uma postagem nas redes sociais, um caso de discriminação que teria acontecido com um professor de Senhor do Bonfim após ele procurar a unidade da Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (Hemoba) para realizar uma doação de sangue. O caso teria acontecido na cidade de Senhor do Bonfim, no Piemonte Norte do Itapicuru.

A publicação compartilhada pela entidade reproduz um relato do profissional. Segundo ele, mesmo mostrando todos os exames que comprovariam sua aptidão, por ser um homem gay, a equipe não realizou a coleta do seu sangue.

“Infelizmente vivemos em um mundo de hipocrisias. Eu, como professor, fico muito triste em saber que o mundo não dá um passo”, diz um trecho da descrição feita pelo professor.

Na legenda, o GGB relembrou a ilegalidade da proibição, já que, desde 2020, por força de uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), bancos de sangue de todo o país “são obrigados a coletar o sangue sem causar qualquer tipo de constrangimento ao situação vexatória, em tendo provas materiais cabe processo judicial”.

Em resposta, o Hemoba divulgou uma nota afirmando que os procedimentos realizados na instituição seguem “rigorosamente rigorosamente a legislação da Coordenação Geral de Sangue e Hemoderivados do Ministério da Saúde, que desde 08 de Junho de 2020 assegura a doação de sangue de homossexuais”.

Segundo o Hemoba, para doar sangue, a pessoa interessada deve ter entre 16 e 69 anos, pesar mais de 50kg, estar saudável, bem alimentado e apresentar um documento oficial com foto. Os critérios seguidos na triagem, informou a fundação, são os mesmos para todos os voluntários, independente da identidade de gênero e orientação sexual.

“A Hemoba reafirma ainda que não existe preconceito ou discriminação no processo da doação de sangue. Os critérios utilizados na triagem médica são baseados em evidências epidemiológicas e científicas de acordo com o Ministério da Saúde e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)”, alertou o texto, que ressaltou também a garantia no sigilo da triagem.

Fonte: Bahia Notícias