“Eu lutarei por esse mandato até o final dele”, afirma Dilma

001

A presidente Dilma Rousseff (PT) criticou, na manhã desta sexta-feira (18), o grampo que o juiz Sérgio Moro, responsável pelo processo da Lava Jato na primeira instância, fez no telefone do ex-presidente Lula e a pegou por tabela a petista. A presidente prometeu tomar providências.
“Presidente tem garantias constitucionais e não pode ser grampeado sem autorização da Suprema Corte. Em muitos países, quem faz isso vai preso. Vou tomar todas as providências cabíveis. Se alguém pode me grampear sem autorização, o que vai acontecer com o cidadão comum?”, disse, tentando sensibilizar o público presente no bairro Conceição, em Feira de Santana, durante entrega de unidades do “Minha Casa Minha Vida”.
A presidente disse ainda que “não é possível aceitar qualquer grau de politização nas ações da Justiça”. “Se isso ocorrer, estaremos dando um passo para trás”, acrescentou Dilma ao falar do grampo, remetendo ao exemplo do ex-presidente Richard Nixon, dos EUA, que grampeava todos ao seu redor sem autorização judicial e sofreu punição da Suprema Corte Americana.
Alvo de processo de impeachment na Câmara Federal, Dilma também voltou a falar sobre sua situação no cargo de presidente, do qual a oposição exige sua saída.  “Eu lutarei por esse mandato até o final dele”, disse a petista.
Inflação
Ainda na sua fala, a presidente anunciou que neste mês serão lançadas mais dois milhões de moradias “para as pessoas que mais precisam”. “Muitas pessoas não  gostam desse programa e falam que tem cortar.  Nós não vamos cortar, vamos ampliar”, disse Dilma, em seu discurso mandando indireta para oposição.
A presidente ainda garantiu que a inflação terá queda. “Estamos dando os primeiros passos para derrubar a inflação e posso garantir que ela vai cair. Estamos aqui lutando contra a turma do pior melhor.  Ninguém vai nos impedir de ampliar o Minha Casa Minha Vida e de derrubar a inflação”, mandou o recado. (Bocão News)