Mulher deixa filha de 11 anos em jejum até a morte e se diz arrependida

Uma garota de 11 anos morreu por desnutrição após ter ficado sem comer, em um jejum de dois dias forçado pela mãe, de 26 anos. O caso aconteceu no interior de São Paulo. A mulher foi presa em flagrante por tortura com morte, cárcere privado e abandono intelectual.

Segundo a Polícia, no depoimento ela afirmou que estava arrependida e que o jejum era o castigo sugerido por uma religião. Além da garota, o irmão dela, de 8 anos, também foi castigado.

Segundo o delegado Ricardo Mamede, o padrasto da garota tem convicções religiosas, mas não segue nenhuma religião. Ele acredita que, quando as crianças desrespeitam, elas devem ser submetidas a jejuns, que começa com refeições isoladas, chegando a jejum de dias, como aconteceu com a garota.

O irmão, felizmente, conseguiu sobreviver ao “castigo”. Ele foi encaminhado a um abrigo da cidade e está sob os cuidados do Conselho Tutelar. Já a irmã foi enterrada neste sábado (26) em um cemitério da cidade.

A mulher e o padrasto, de 47 anos, que ficou calado durante o depoimento, passaram por audiência de custódia. Até o momento não há informações sobre o resultado.

*VN