Caso Miguel: Sari Corte Real é indiciada por abandono de incapaz que resultou em morte

Sari Gaspar Corte Real foi indiciada por abandono de incapaz que resultou em morte. A pena, neste caso, varia de quatro a 12 anos de prisão. Ela é ex-patroa da mãe do menino Miguel Otávio, que morreu aos 5 anos após cair de uma altura de 35 metros.

De acordo com o delegado Ramon Teixeira, que concluiu o inquérito nesta quarta-feira (1º), a moradora do prédio cometeu um “crime preterdoloso”. Segundo o policial, o abandono de incapaz ocorreu de forma dolosa, com intenção, por Sari. O resultado da morte, no entanto, poderia ter acontecido não apenas pela queda, mas por várias outras possibilidades de risco no prédio.

O delegado disse que ao deixar Miguel sozinho no elevador, Sari, inclusive, infringiu uma lei municipal, que proíbe a presença de menores de dez anos desacompanhados nesse tipo de transporte.

“A criança, da qual a gente tanto falou, tinha 5 anos de idade, ela sequer poderia ficar desacompanhada no elevador. Pelo acervo probatório dos atos, teve, sim, uma etapa de cogitação. Teria ocorrido por uma irritação ou cansaço de retirar o menino do elevador”, afirmou.

*Bahia.Ba