Chamada de ‘mulher demônia’, modificadora corporal diz ter consultado Deus sobre chifres

A transformadora corporal Carol Praddo, de 35 anos, conhecida como “mulher demônia” há três anos tem provocado modificações em seu visual, a exemplo de tatuagens que cobrem cerca de 60% da pele, além de alterações na língua, olhos, dentes e na testa, onde implantou chifres. Carol é moradora de Praia Grande, no litoral de São Paulo.

Ao G1, a mulher afirmou ter orgulho do apelido e que isso a ajuda em seu trabalho. Carol contou que trabalha em um estúdio de piercings, tatuagens e outras transformações corporais.
De acordo com a reportagem, Carol entrou de cabeça no universo das tatuagens há 11 anos, quando ainda era auxiliar administrativa e conheceu seu atual marido em um estúdio. Ela iria fazer mais uma tatuagem pequena e o homem era o tatuador.

Juntos, eles cobriram praticamente todo o corpo com diversas tatuagens ao longo dos anos e o homem, conhecido como ‘Diabão’, passou a instaurar modificações mais agressivas em seu corpo. Há três anos, Carol também seguiu os passos dele e tatuou os olhos, diz o texto.

Atualmente, ela tem quatro modificações extremas: pigmentação dos olhos (eyeball tattoo) , divisão da língua (tongue split), dentes com coroas metálicas e chifres na testa (implantes transdermais).

Sobre os chifres, modificações preferidas de Carol, ela confessou ter tido receio do julgamento divino e buscou orientação antes de realizar o procedimento.

“Conversei com meu marido e oramos para pedir ajuda para Deus. Já me questionei por medo em relação ao nosso Senhor. Entendemos que Ele não é assim e não julga por isso. É a modificação que eu me sinto mais entusiasmada, feliz e orgulhosa de ter feito”, diz Carol Praddo.

Fonte: Bahia Notícias