Felipe Neto processa pesquisadora do Butantan que o acusou de pedofilia

O youtuber e empresário, Felipe Neto, entrou com processo contra a farmacóloga Maria Carla Petrellis, que é funcionária do Instituto Butantan, por danos morais. A pesquisadora chamou ele, no Twitter, de “macaco”, “pedófilo” e “criminoso”.

Atualmente, o processo aguarda autuação na 6ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), de acordo com informações do Uol. A idenização está, aproximadamente, no valor de R$50 mil reais, segundo a Folha PE.

A assessoria de Felipe definiu, ao Uol, os tuítes da pesquisadora como “assombrosas ofensas e calúnias”. “É inaceitável a propagação deste tipo de conteúdo, sobretudo nos dias de hoje. A internet não é terra sem lei e há de se ter compromisso e responsabilidade com aquilo que se fala”, pontuou a assessoria.

A farmacóloga também responde a um segundo processo por danos morais, levantado pelo cantor Caetano Veloso, que também foi caracterizado como “macaco pedófilo”, por ela, na rede social. Na ação judicial movida por Caetano inclui também a acusação de injúria racial.

Após as postagens ofensivais, Petrellis apagou o seu perfil no Twitter.