Bolsonaro muda o tom e sanciona medida que facilita compra de vacinas

Foto : Alan Santos/PR

Em discurso nesta quarta-feira (10), o presidente Jair Bolsonaro mudou o tom e afirmou que, até o fim do ano, o Brasil terá mais de 400 milhões de doses de vacinas disponíveis. Ele sancionou projetos de lei que ampliam a capacidade de aquisição de vacinas pelo governo federal.

Em um tom diferente das vezes em que criticou os imunizantes – chegou ao evento usando máscara, inclusive -, o presidente defendeu a vacinação e reforçou que o governo “não poupou esforços e recursos” no combate à pandemia do novo coronavírus. “O Brasil está fazendo a sua parte. O governo federal tem mostrado seu trabalho e já foram entregues vacinas para 100% dos idosos acima dos 85 anos de idade, entre eles, a minha mãe. Até o final do ano teremos mais de 400 milhões de doses disponíveis para os brasileiros”.

Bolsonaro também afirmou que o Ministério da Ciência e Tecnologia tem buscado a “feitura de uma vacina brasileira”. “Uma equipe nossa retorna hoje de Israel, onde fomos buscar parcerias para a feitura de vacinas e também firmarmos um protocolo de intenção para que busquemos um remédio”, disse.

O presidente disse ainda que o Brasil é um dos poucos países com capacidade para a produção de vacinas e que essa produção poderia ajudar outros países vizinhos: “Queremos fazer isso também para que possamos atender os nossos irmãos da América do Sul”.

Bolsonaro voltou a defender o tratamento precoce da Covid-19, que não tem comprovação científica, e orientou a busca por atendimento médico nos primeiros sintomas da doença. “Como disse o nosso ministro da Saúde, a gente orienta a população brasileira a procurar uma UBS ao sentir o menor sintoma da Covid-19, como falta de paladar e febre”.

Ao falar sobre a hidroxicloroquina, Bolsonaro afirmou que “mais de 200 pessoas neste prédio contraíram a Covid-19 e buscaram o tratamento imediato com hidroxicloroquina, azitromicina, vitamina D e anitta. Desconheço que uma só pessoa deste prédio tenha ido ao hospital para se internar”. A cerimônia de sanção da medida aconteceu na tarde desta quarta no Palácio do Planalto.

O presidente também ressaltou que o governo tem sido incansável no combate à Covid-19: “Confiemos no governo, no Ministério da Saúde e acreditemos na nossa Anvisa. A seriedade e a responsabilidade fazem parte do nosso governo”.

Fonte: CNN