Morre Aleksandar Mandic, um dos fundadores da internet no Brasil

Foto: Xlmandic/Wikipedia

Morreu nesta quinta-feira (6), aos 66 anos, o empresário e técnico em eletrônica Aleksandar Mandic, uma das primeiras pessoas a trazerem a internet para o Brasil. A causa da morte não foi informada, mas, de acordo com amigos, Mandic lutava contra uma leucemia nos últimos meses.

Filho de imigrantes sérvios, Mandic nasceu em São Paulo em 1964 e fez sua carreira na área de automação industrial na Siemens, multinacional onde ingressou em 1972 e de onde só saiu em 1990, para apostar no próprio negócio: um sistema que interconectava computadores por meio de linhas telefônicas e permitia que se comunicassem entre si.

O técnico conheceu e se maravilhou com a tecnologia após uma troca de dados à distância promovida pela matriz alemã da Siemens com a filial no Brasil. Chegou a sugerir a implantação de um sistema do gênero no escritório brasileiro, mas, como a ideia não vingou, saiu para empreende-la ele próprio na sala de sua casa, onde instalação as primeiras linhas telefônicas que dariam origem à sua primeira empresa.

Foi assim que nasceu a Mandic BBS, uma espécie de antecessor dos provedores e o primeiro sistema voltado para uso comercial do país. BBS, sigla para Bulletin Board System, era a rede de conexão entre pontos de acesso disponível à época, por meio de linhas discadas, antes do surgimento e popularização do World Wide Web, o “www” sobre o qual a “web” ganharia o mundo.

Até então, o que existia de internet no Brasil se resumia basicamente ao ANPS, sigla em inglês para Rede Acadêmica em São Paulo, oficilamente o primeiro ponto de acesso do Brasil à rede mundial de computadores, montado em 1989 para fazer a comunicação entre universidades e que funciona até hoje como uma rede de conexão do ambiente acadêmico.

Em 2000, Mandic foi um dos fundadores de um dos primeiros grandes provedores e portais de internet do Brasil, o iG, onde ficou por pouco mais de um ano como vice-presidente.

A Mandic, que, desde os primeiros anos na sala da casa do fundador, cresceu tão rápido quanto a própria internet, recebeu aportes de diferentes investidores, mudou de nome e, em 1999, foi vendida para o grupo argentino Impsat –a tempo de não perder valor com a bolha global da internet que veio no ano seguinte. Em 2012, seria comprada pelo fundo de investimento norte-americano Riverwood Capital. Mandic, o fundador, continuou integrando o conselho da empresa.

Atualmente, o empresário comandava sua mais jovem startup, a WiFi Magic, aplicativo criado em 2013 que funciona como uma rede social de busca e compartilhamento de senhas de pontos de acesso públicos de wi-fi.

Fonte: CNN