Detento diz que matou esposa em visita íntima após descobrir que estava sendo traído

Detento diz que matou esposa em visita íntima após descobrir que estava sendo traído
Foto: reprodução

O detento que matou a esposa durante uma visita íntima na Penitenciária I “Nestor Canoa”, localizada em Mirandópolis, cidade do interior de São Paulo, cometeu o crime após descobrir que estava sendo traído pela vítima, segundo o boletim de ocorrência. Wellys Lopes Ribeiro, de 35 anos, confessou ter usado uma corda feita artesanalmente para enforcar Patrícia Santos Damas Lopes Ribeiro, de 31 anos.

A Polícia Civil de Mirandópolis instaurou um inquérito para investigar o assassinato, que foi registrado no último domingo (13), dentro da cela onde o detento cumpria pena por tráfico de drogas. De acordo com o delegado Thiago Rodrigues Barrota, Wellys apresentou “certo arrependimento” durante o depoimento. “Mas demonstrou bastante frieza ao relatar o que tinha acontecido. Ele disse, inclusive, que amava a esposa. Imagina se não amasse, né?”, afirmou ao g1.

O assassinato de Patrícia foi descoberto somente quando a visita terminou. O próprio detento chamou os agentes penitenciários para comunicar o crime. Segundo o delegado, Wellys e a esposa estavam sozinhos no horário em que o assassinato aconteceu. Os outros presos tinham deixado a cela, pois não tinham visita agendada para o domingo.

“Ele esperou a visita acabar, porque, se tivesse anunciado a morte antes, poderia virar um alvoroço. O detento poderia, inclusive, ser responsabilizado pela própria população carcerária”, disse ao g1.

Wellys passou por audiência de custódia e, por ter matado Patrícia, teve a prisão em flagrante convertida em preventiva. Ele já está preso, portanto, na prática, vai continuar. Porém, agora também responderá a mais outro processo. Em nota, a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) afirmou que o detento foi isolado, e que abriu um procedimento disciplinar e preliminar para averiguação dos fatos.

 

Detento diz que matou esposa em visita íntima após descobrir que estava sendo traído
Foto: reprodução

Caso

No dia do crime, Patrícia foi à penitenciária para visitar Wellys. Os dois tiveram relações sexuais e ficaram conversando no interior da cela. Segundo o boletim de ocorrência, o detento perguntou à mulher se estava sendo traído. Ela, inicialmente, negou, mas depois confirmou e começou a ser enforcada com uma corda artesanal. Os dois entraram em luta corporal, após a corda artesanal quebrar. Wellys, então, agrediu a esposa e a deixou sentada, com os punhos amarrados.

Ainda conforme o registro policial, o detento cortou os cabelos de Patrícia e usou a corda artesanal para enforcá-la. Em seguida, ficou com o corpo da esposa dentro da cela e saiu para avisar os agentes penitenciários sobre o crime. O corpo da vítima foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML). Os familiares da mulher foram avisados sobre o crime. Nas redes sociais, parentes e amigos homenagearam a vítima em publicações. Em uma das postagens, uma amiga lamentou a morte de Patrícia e disse que ela será sempre lembrada.

Fonte: Vitória da Conquista Notícias