Supermercados de SP trancam Nutella para evitar furto

Funcionários informaram que aumentou o furto de alimentos e higiene pessoal durante a pandemia.

Supermercados de SP trancam Nutella para evitar furto

Supermercados de São Paulo estão escondendo ou mantendo a Nutella (marca de creme de avelã) trancada em estoques. Segundo funcionários, a medida foi tomada para evitar o furto dos produtos que se tornaram recorrentes nas unidades.

Conforme publicação do G1, funcionários são orientados pela diretoria como medida   estratégica. “Estamos tendo prejuízos há quase dois anos por conta desses roubos. As unidades [de Nutella] foram confinadas, o cliente que quiser pede no caixa e um funcionário vai lá e pega”, afirmou o gerente de uma das unidades.

A Nutella virou sinônimo de algo refinado, delicado, gourmetizado, em contraposição a coisas grosseiras, rústicas, o que deu origem ao meme “raiz x nutella”.

O gerente também informou que produtos de higiene pessoal também estão sendo furtados no local.

Um levantamento realizado pela a Associação Brasileira de Supermercados (Abras) aponta que os itens considerados de alto risco pelos supermercados, recebem atenção especial por “possuírem maior valor agregado e por serem mais visados”. Entre as ações estão:

  • armazenagem em área controlada em 90,1% dos supermercados
  • conferência detalhada em 90%.
  • exposição em área controlada em 89,7%.

Somente no ano de 2021, a Abras informou que o setor teve perda de R$ 3,19 bilhões por conta de furtos em supermercados. A associação contabiliza o furto em três fatores:

  • Interno, os que ocorrem dentro da loja pela equipe da loja.
  • O externo que ocorre dentro da loja pelos clientes.
  • Por fornecedores, que é quando o fornecedor faz uma entrega e quando a caixa é aberta o produto está com uma quantidade menor do que o vendido.

A grande parte dos furtos registrados são da categoria externa, representando 54% do total, seguido por furto interno, 25%.

Os furtos integram o índice de perdas dos supermercados, que no ano passado ocasionou um prejuízo de R$ 11,4 bilhões. Essas perdas, além de furtos, contabilizam também produtos vencidos, avariados e erros administrativos como falhas na contagem do estoque.

As informações são do G1

Veja mais notícias no blogdovalente.com.br e siga o Blog no Google Notícias