Saque de novo lote do PIS é liberado; veja se tem direito a até R$ 1.045

Está liberado a partir desta quarta-feira (14) o saque do abono salarial do PIS/Pasep para empregados de empresa privada nascidos em outubro e para funcionários públicos com o número de inscrição no Pasep terminado em 3. O pagamento de até R$ 1.045 de abono salarial do PIS/Pasep é para quem trabalhou com carteira assinada ou como funcionário público em 2019. Para ter direito, é preciso preencher alguns requisitos, como ter recebido em média até dois salários mínimos por mês.

O valor pago é de até um salário mínimo (R$ 1.045) e varia de acordo com o tempo trabalhado. Se a pessoa trabalhou o ano todo, recebe um salário mínimo. Se trabalhou um mês, ganha proporcionalmente: 1/12 do mínimo. Os pagamentos deste calendário começaram em 30 de junho de 2020 e vão até 30 de junho de 2021. O cronograma segue conforme o mês de nascimento para empregados da iniciativa privada (PIS) e o número de inscrição do Pasep para funcionários públicos.

Abono antecipado para correntistas da Caixa e do BB

Neste ano, o governo adiantou o pagamento do abono para alguns correntistas da Caixa e do Banco do Brasil. A Caixa é responsável por pagar o abono a empregados da iniciativa privada (PIS), enquanto o BB opera pagamentos a servidores públicos (Pasep). O adiantamento foi para correntistas que receberiam ainda em 2020. Quem foi beneficiado teve o crédito depositado em 30 de junho, segundo o governo federal.

Quem teve o abono salarial adiantado em 30 de junho:

  • Correntistas da Caixa com direito ao abono do PIS nascidos entre julho e dezembro
  • Correntistas do BB com direito ao abono do Pasep e número de inscrição terminado entre 0 e 4

Quem não se encaixa em um desses casos, mesmo que tenha conta na Caixa ou no BB, terá que esperar a liberação do abono conforme o calendário a seguir.

Calendário de pagamento para demais trabalhadores

O calendário de saques para quem não foi beneficiado com a antecipação segue o mês de nascimento dos beneficiários do PIS (para funcionários de empresas privadas) e o número de inscrição no Pasep (servidores públicos):

Quem tem direito a sacar o abono?

Quem trabalhou com carteira assinada por pelo menos 30 dias em 2019 Ganhou, no máximo, dois salários mínimos por mês, em média Está inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos É preciso que a empresa onde trabalhava tenha informado os dados corretamente ao governo.

PIS (trabalhador de empresa privada):

  • No Aplicativo Caixa Trabalhador
  • No site da caixa (www.caixa.gov.br/PIS), clique em “Consultar pagamento”
  • Pelo telefone de atendimento da Caixa: 0800 726 0207

Pasep (servidor público):

Pelos telefones da central de atendimento do Banco do Brasil: 4004-0001 (capitais e regiões metropolitanas);  0800 729 0001 (demais cidades) e 0800 729 0088 (deficientes auditivos).

Quanto é pago?

O valor pago é de até um salário mínimo (R$ 1.045, em 2020) e varia de acordo com o tempo que a pessoa trabalhou. Se ela trabalhou o ano todo, recebe um salário mínimo. Se trabalhou um mês, ganha proporcionalmente: 1/12 do salário mínimo. Segundo o Ministério da Economia, os valores são arredondados para cima. Quem trabalhou por um mês, por exemplo, teria direito a R$ 87,08 de abono. Com o arredondamento, o trabalhador recebe R$ 88.

Onde é feito o saque?

  • Funcionários de empresa privada, com Cartão Cidadão e senha cadastrada: o saque pode ser feito em caixas eletrônicos da Caixa ou em lotéricas
  • Não tem o Cartão Cidadão? O saque é feito em uma agência da Caixa, com documento de identificação
  • É correntista individual da Caixa? O abono é depositado diretamente na conta, caso haja saldo acima de R$ 1 e movimentação
  • É servidor público? O saque é feito nas agências do Banco do Brasil, com documento de identificação.  Servidores correntistas do banco recebem o dinheiro diretamente na conta. Mais informações sobre o Pasep podem ser obtidas pelo telefone do BB: 0800 729 0001.

Abonos salarias antigos podem ser sacados

O último calendário de saque do abono, referente ao ano de trabalho de 2018, terminou em 29 de maio de 2020. Quem tinha direito mas deixou passar poderá sacar seguindo o calendário novo, ou no prazo de cinco anos. Segundo o Ministério da Economia, não é preciso entrar na Justiça para ter direito. Correntistas da Caixa e do Banco do Brasil com direito à antecipação tiveram os créditos depositados em conta em 30 de junho, e os demais trabalhadores poderão fazer o saque conforme o calendário acima.

Fonte: UOL




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *