China fecha 2020 com crescimento de 2,3% do PIB, mas desempenho é o mais fraco em 44 anos

Com um crescimento superando as expectativas no quarto trimestre, a economia da China encerrou 2020 com alta de 2,3% no seu produto interno bruto (PIB). Os chineses foram os únicos entre as maiores economias do mundo que conseguiram evitar uma retração em ano de pandemia global.

A segunda maior economia do mundo surpreendeu muitos especialistas com a velocidade de sua recuperação do choque da pandemia, especialmente com as tensas relações entre EUA e China no comércio e em outras frentes.

O crescimento, entretanto, ficou bem abaixo do avanço de 6,1% registrado em 2019 e foi o mais fraco desde 1976, último ano da Revolução Cultural que durou uma década e afetou a economia.

No 4º trimestre, o PIB chinês cresceu a uma taxa de 6,5%, na comparação com o mesmo período do ano passado, mostrando uma ganho de ritmo frente ao avanço de 4,9% no 3º trimestre.

As fortes medidas de contenção do governo chinês permitiram ao país conter o surto de Covid-19 muito mais rápido do que a maioria dos países, enquanto os estímulos do governo e a aceleração da produção nas fábricas para fornecer produtos a muitos países ajudaram a aumentar a força.