Dólar chega em R$ 5,54 e cai pelo 2º dia

Marcello Casal JrAgência Brasil

A cotação do dólar de hoje, quinta-feira, (11/03/2021), fechou o dia em baixa de 2,00% ante o real, após recuar 2,26% durante o dia. A moeda norte-americana fechou em R$ 5,5412 na venda. Pela segunda vez consecutiva, o dólar recuou depois de um período extenso de alta, beirando os R$ 5,80.

Segundo informações do site MoneyTimes, o mercado financeiro repercutiu o andamento da agenda fiscal e também o cenário político conturbado, em meio à aprovação da PEC Emergencial na Câmara dos Deputados, a volta do ex-presidente Lula (PT) na mídia e às críticas de Jair Bolsonaro (sem partido) perante as medidas restritivas impostas na maioria dos estados brasileiros.

Na véspera, o dólar havia recuado 2,39%, a R$ 5,6542. O número foi o menor desde o dia 26 de janeiro de 2021. A expectativa é que a moeda continue acompanhando o mercado externo, que tem sido positivo, principalmente os Estados Unidos, e também a situação política do Brasil.

Dólar hoje 11/03/2021 – Ações

A atuação do Banco Central contribuiu para a recaída do dólar hoje. De acordo com o MoneyTimes, o  BC vendeu cerca de 20 mil contratos de swap ofertado, o que representa uma injeção de 1 bilhão de dólares em dinheiro novo no mercado. O Ibovespa, principal bolsa de valores do Brasil, operou em alta e atingiu a marca de 115 mil pontos.

Especialistas ouvidos pelo jornal Valor Econômico, garantiram que o mercado vem prosperando com o avanço da PEC Emergencial, que vai garantir a volta do tão aguardado auxílio emergencial novamente. A preocupação fiscal com o teto de gastos do governo federal ficou para atrás, após o texto-base da PEC garantir medidas ponderáveis para que as contas fechem sem prejuízo.

Enquanto ao cenário do exterior, a bolsa de valores de Nova York fechou acima do esperado nesta quinta-feira (11/03/2021). Segundo foi veiculado pela agência de notícias internacional Reuters, Wall Street atingiu máximas consideradas históricas, reflexo do desempenho que EUA vem tendo com o novo governo de Joe Biden (Democrata), que recentemente sancionou um projeto de lei de estímulo de mais 1,9 trilhões de dólares.

*DCI